Quarta-feira, 26 de Setembro de 2012
Lado B

Benfica queixa-se do árbitro mas…

 

Esta semana fica marcada pelas queixas do Benfica à arbitragem de Carlos Xistra no jogo com a Académica. No entanto, creio que esta não é a principal razão do empate do Benfica frente aos conimbricenses.

No meu ponto de vista, são duas as principais razões que fizeram com que o Benfica não conseguisse conquistar os três pontos em Coimbra.

Em primeiro lugar, o Benfica desperdiçou muitas oportunidades de golo, nomeadamente dois remates de Cardozo aos ferros da baliza de Ricardo e um remate de Rodrigo ao poste da baliza academista. Ou seja, a falta de eficácia na finalização foi uma das razões que levou ao empate do Benfica em Coimbra.

Em segundo lugar, o Benfica ainda não conseguiu colmatar a ausência de Luisão bem como as saídas de Javi García e Axel Witsel. Na defesa, Jardel não tem a voz de comando de Luisão, enquanto no meio-campo Matic ainda não conseguiu igualar o rendimento do médio espanhol transferido para o Manchester City, e Enzo Pérez não me parece ter caraterísticas para ocupar o lugar deixado vago pelo belga que se transferiu para o Zenit de São Petersburgo.

Na segunda metade da primeira parte o Benfica foi dominado pela Académica, não conseguindo ter posse de bola, porque Matic não era capaz de construir jogo a partir de trás. Acresce a isso o facto de o Benfica não ter um “número 8” capaz de fazer chegar a bola aos avançados nas melhores condições. Aqui, parece-me que foi um erro de Jorge Jesus colocar Enzo Pérez no centro do terreno em detrimento de Carlos Martins.

Por outro lado, não me parece que a arbitragem tenha sido prejudicial apenas para o Benfica. Penso que o árbitro errou para os dois lados, isto é, em desfavor do Benfica e em desfavor da Académica.

Concluindo, o Benfica atirou a responsabilidade do empate com a Académica à equipa de arbitragem, mas penso que as razões que levaram a que o clube da Luz não vencesse em Coimbra foram a falta de eficácia na finalização e a falta de soluções para o meio-campo bem como uma voz de comando no centro da defesa.


tags:

publicado por Bruno Carvalho às 22:14
link do post | comentar

Quarta-feira, 12 de Setembro de 2012
Lado B

Benfica testa novo meio-campo com o Bétis

 

O Benfica defronta hoje ao final da tarde o Bétis de Sevilha, num jogo que será disputado em Portimão, com o propósito de testar um novo meio-campo após as saídas de Javi García para o Manchester City e de Axel Witsel para o Zenit de São Petersburgo.

Devido à paragem de duas semanas no campeonato português e perante o aproximar do jogo com o Celtic de Glasgow para a Liga dos Campeões, que se disputará na próxima quarta-feira, o Benfica tem a necessidade de realizar um encontro particular de forma a encontrar um meio-campo sólido que entre em campo na Escócia.

À partida e se Carlos Martins não recuperar a tempo do jogo da Liga dos Campeões, creio que a solução para o meio-campo deverá passar por Matic e Pablo Aimar. No entanto, Bruno César também é opção a ter em conta para jogar no miolo do terreno em vez de Pablo Aimar.

O jogo de hoje serve também para Lima se estrear com a camisola do Benfica, de forma a se adaptar o mais rápido possível às rotinas de jogo da equipa treinada por Jorge Jesus.

Para além destas duas questões, há ainda a situação da lateral direita defensiva que não poderá ser ocupada por Maxi Pereira no jogo com o Celtic, uma vez que o lateral uruguaio irá cumprir um jogo de castigo nas competições europeias.

Perante a ausência de um defesa direito de raiz no plantel benfiquista, além de Maxi Pereira, Jorge Jesus terá de improvisar Miguel Vítor que deverá ser titular no jogo de hoje como lateral. Em alternativa, Jorge Jesus terá também a opção André Almeida que já jogou várias vezes a defesa direito, quando ainda atuava no Belenenses.

Relativamente ao jogo de hoje e a título de curiosidade, há a destacar o reencontro do Nélson com a sua ex-equipa, bem como o regresso de Salvador Agra ao Algarve depois de ter representado na temporada passada o Olhanense.

Concluindo, o jogo de hoje serve sobretudo para Jorge Jesus testar Miguel Vítor a lateral direito e encontrar um novo meio-campo, capaz de “fazer esquecer” as saídas de Javi García e de Witsel.



publicado por Bruno Carvalho às 14:30
link do post | comentar

Quarta-feira, 5 de Setembro de 2012
Lado B

FC Porto e Benfica mais fracos após saídas de Hulk e Witsel?

 

Terminado o mercado de transferências, é altura de fazer o balanço e de lançar os prós e os contras no que diz respeito aos plantéis de FC Porto, Benfica, Sporting e Braga.

Será que o FC Porto fica mais fraco após a saída de Hulk? Na minha opinião, parece-me que não. Já na temporada passada se pensava que o FC Porto não iria conseguir revalidar o título de campeão nacional devido à saída de Falcao para o Atlético de Madrid. Pois bem, Falcao saiu e o FC Porto foi campeão nacional. Ou seja, apesar de reconhecer que Hulk era um jogador fundamental para a equipa treinada por Vítor Pereira, julgo que há soluções no plantel portista para ocupar a sua vaga, nomeadamente Christian Atsu e Silvestre Varela. É verdade que nem Atsu nem Varela têm o mesmo valor do “Incrível”, mas são jogadores que podem formar um bom trio de ataque juntamente com James Rodríguez e Jackson Martínez.

E o Benfica? Será que fica mais fraco após as saídas de Javi García e Witsel? Talvez, se Matic e Carlos Martins continuarem a ser afetados por lesões, será muito difícil para Jorge Jesus constituir um meio-campo capaz de garantir equilíbrio à equipa do Benfica. Ou seja, no meu ponto de vista, Matic e Carlos Martins até podem “disfarçar” a ausência de Javi García e Witsel no miolo do terreno, mas para isso têm de estar em boa condição física, o que me parece que não acontece neste momento.  

No que se refere ao Sporting, o mercado de transferências trouxe duas saídas importantes para o clube. Refiro-me a João Pereira e Matías Fernández. No entanto, Cédric Soares parece que já agarrou o lugar que era ocupado por João Pereira, enquanto para o lugar de Matías Fernández a situação está em aberto, com Adrien Silva a fazer a posição de nº10 nos últimos jogos. Contudo, penso que a solução mais sensata para substituir Matías é Zakaria Labyad. Apesar de ainda ser jovem, creio que já tem talento suficiente para ser titular na equipa do Sporting.

Por fim, o Braga “perdeu” Ewerton para o Anzhi e Lima para o Benfica. A saída de Ewerton não afeta muito a equipa treinada por José Peseiro, uma vez que a dupla de centrais que tem sido utilizada (Douglão e Paulo Vinícius) é constituída por jogadores que já faziam parte do plantel bracarense na época passada, já a saída de Lima deverá ser colmatada por Éder, um avançado proveniente da Académica de Coimbra e que foi agora chamado pela primeira vez para a seleção nacional AA.

Concluindo e após o fecho do mercado de transferências de Verão, creio que o FC Porto continua a ser o principal candidato ao título, seguido de Benfica, Sporting e Sporting de Braga.



publicado por Bruno Carvalho às 15:15
link do post | comentar

Quarta-feira, 22 de Agosto de 2012
Lado B

Nova época, velhos hábitos

 

A I Liga Portuguesa de futebol 2012/2013 começou no passado fim-de-semana, com todas as equipas a apresentarem algumas caras novas, mas os quatro candidatos ao título (FC Porto, Benfica, Braga e Sporting) mantêm hábitos antigos, que vêm de temporadas passadas.

Em termos gerais, a primeira jornada da I Liga fica marcada por ter tido seis empates em oito jogos. Uma situação que tem sido habitual em campeonatos anteriores, nos quais também existiram muitos empates.

Em termos particulares e analisando os quatro candidatos ao título, o FC Porto continua a manter o mesmo tipo de futebol da época passada. Ou seja, não jogando um futebol entusiástico, o Porto acaba por ir à procura da vitória pela vantagem mínima, sendo que neste fim-de-semana não o conseguiu fazer empatando a zero com o Gil Vicente.

Há duas temporadas, na primeira jornada, o FC Porto tinha ganho à Naval por 1-0 enquanto na época passada os “azuis e brancos” tinham vencido o Vitória de Guimarães também por 1-0. Isto mostra que o FC Porto tem arrancado sempre da mesma maneira, ou seja, com a máquina pouco oleada.

Por sua vez, o Benfica continua a manter o problema da época passada: a posição de defesa esquerdo. Se na temporada anterior Emerson era o elo mais fraco da equipa encarnada, este ano Melgarejo arrisca-se a ter esse estatuto caso Jorge Jesus insista em mantê-lo nessa posição. Na minha opinião, Melgarejo teria muito mais rendimento se jogasse a médio esquerdo na equipa do Benfica, posição na qual marcou 10 golos ao serviço do Paços de Ferreira na temporada passada. Penso que o Benfica teria muito mais a ganhar, tendo um defesa esquerdo de raiz com Melgarejo à sua frente atuando no meio-campo.

Por outro lado, o Benfica também mantém o hábito de não conseguir ganhar na primeira jornada. Já são oito temporadas consecutivas sem conseguir vencer na ronda inaugural.

Já o Braga continua a praticar um futebol de qualidade como tem sido apanágio nas últimas temporadas, mantendo a base da estrutura da temporada passada, com Beto e Ismaily a serem as únicas caras novas no onze inicial apresentado frente ao Benfica. Creio que se continuar a jogar assim, o Braga estará novamente na luta pelo título.

Por fim, o Sporting também mantém o hábito de desperdiçar pontos na primeira jornada e em jogos fora de Alvalade. Esta é a quarta época consecutiva do Sporting sem vencer na ronda inaugural do campeonato.

No jogo frente ao Vitória de Guimarães, o Sporting voltou a mostrar problemas na finalização tal como já tinha acontecido em alguns jogos da época passada quando a equipa sportinguista jogava fora de Alvalade. Para além disso e tal como no ano passado, a equipa orientada por Sá Pinto continua a não ter uma alternativa válida a Ricky van Wolfswinkel para a posição de ponta-de-lança.

Concluindo e por todas estas razões penso que apesar de a época ser nova, os hábitos continuam a ser os mesmos.        



publicado por Bruno Carvalho às 14:41
link do post | comentar | ver comentários (1)

Quarta-feira, 27 de Junho de 2012
Lado B

Mercado pouco agitado

 


A uma semana de os principais clubes do futebol português iniciarem os trabalhos de pré-época, o mercado de transferências encontra-se pouco agitado quer em termos de entradas quer em termos de saídas de jogadores, no que diz respeito a FC Porto, Benfica, Braga e Sporting.

 

No FC Porto não está garantido qualquer reforço, apesar de a imprensa portuguesa falar insistentemente na hipótese do avançado colombiano Jackson Martínez reforçar os “dragões”. No entanto e mesmo não tendo feito nenhuma contratação, espera-se que alguns jovens que estiveram emprestados a outros clubes na última época, como Kelvin, Christian Atsu e David Addy, integrem os trabalhos de pré-época do FC Porto. Já no que diz respeito a saídas, tem-se falado na hipótese de Hulk ingressar no Chelsea mas, na minha opinião, não me parece que Hulk saia do FC Porto uma vez que o presidente Pinto da Costa já veio garantir publicamente que Hulk não sai do FC Porto por um valor abaixo da sua cláusula da rescisão, e, não estou a ver que haja algum clube que pague 100 milhões de euros por Hulk.

 

No Benfica já estão garantidos alguns reforços, como Paulo Lopes, Luisinho, Hugo Vieira, Ola John e Michel, além dos prováveis regressos de Sidnei, Melgarejo e Alan Kardec após terem cumprido os seus empréstimos. Deste conjunto de jogadores, creio que Ola John será o único que irá pegar de estaca no onze inicial do Benfica, isto se for concretizada a saída de Gaitán para o futebol inglês. Quanto a saídas do clube encarnado e tal como no FC Porto, não está oficializada nenhuma saída apesar da possibilidade de jogadores como Javi García, Witsel ou Cardozo poderem partir para outras paragens.

 

No Braga estão asseguradas as contratações de Ismaily (defesa esquerdo, ex-Olhanense), Florent (defesa esquerdo, ex-Leixões), Maximilian Haas (defesa central, ex-Leiria), Éder (avançado, ex-Académica) e Manoel (avançado, ex-Penafiel), prevendo-se também o regresso dos “emprestados” Henrique, Rodrigo Galo, Zé Luís e Yazalde. Além destas novidades para os lados de Braga, creio que a grande contratação para a nova temporada da equipa bracarense é José Peseiro, o novo treinador. Penso que José Peseiro é um treinador que irá dar uma nova imagem à equipa do Braga, colocando-a a jogar um futebol mais ofensivo e atraente para os adeptos.

 

Por fim, o Sporting parece ser, dos “quatro grandes” do futebol português, aquele que se encontra menos ativo neste momento, ao contrário do que acontecia na época passada em que era o mais ativo. Para já, Zakaria Labyad é o único reforço garantido e João Pereira e Anderson Polga são as duas únicas saídas asseguradas.

 

Concluindo e no meu ponto de vista, este está a ser um mercado de transferências muito pouco agitado, talvez pelo facto de todas as atenções estarem viradas para o Euro 2012.  

 



publicado por Bruno Carvalho às 12:49
link do post | comentar

Quarta-feira, 11 de Abril de 2012
Lado B

FC Porto embala para o título


 

A 26ª jornada da Liga Portuguesa de futebol foi claramente a jornada do título e o FC Porto foi o grande vencedor. A vitória do FC Porto aliada às derrotas de Benfica e Sp. Braga permitiu aos “dragões” ganharem uma embalagem de 4 pontos de avanço sobre o segundo classificado (o Benfica).

Após esta jornada, o FC Porto necessita de conquistar oito dos doze pontos que faltam disputar nesta liga portuguesa para poder conquistar o campeonato de futebol e passa a ser a única equipa que depende apenas de si própria para conseguir esse objetivo.

No jogo entre o Braga e o FC Porto, destaco a exibição de Hulk que provou mais uma vez o porquê de, no meu ponto de vista, ser o melhor jogador do campeonato português. Quanto ao Braga, ficou provado que ainda não tem pedalada para se impor e para vencer os desafios contra o FC Porto e contra o Benfica. Na minha opinião, resta agora ao Braga lutar pelo segundo lugar.

Há algumas semanas atrás era impensável para muitas pessoas que o FC Porto conseguisse conquistar o título de campeão nacional dada a desvantagem de cinco pontos que chegou a ter para o Benfica, mas o facto de a equipa das “águias” ter desperdiçado 13 pontos nos últimos oito jogos (3 derrotas, 2 empates e 3 vitórias) fez com que a situação se invertesse e agora é o FC Porto que tem tudo para ser campeão, no momento em que era necessário isso acontecer.

Ao contrário do Benfica, que falhou nos jogos decisivos frente ao FC Porto e ao Sporting, o FC Porto não falhou nos jogos decisivos e ganhou ao Benfica e ao Braga. É este o facto que, na minha opinião, pode ser determinante para a atribuição do título.

Mesmo não reunindo a simpatia dos adeptos portistas, a verdade é que Vítor Pereira consegue colocar a equipa do FC Porto no topo do campeonato, com algum conforto, no momento em que tudo se decide.

Já Jorge Jesus parece estar a mostrar que o seu ciclo no Benfica está a chegar ao fim, depois de em três temporadas tudo indicar que apenas conquistou um campeonato nacional de futebol, isto partindo do pressuposto de que o FC Porto será campeão. Aliás, o fraco futebol que a equipa do Benfica demonstrou nos jogos frente ao Olhanense e ao Sporting deixam evidente que a equipa do Benfica já não galvaniza os seus adeptos como galvanizava antes, quando conseguia grandes goleadas. Também me parece que fica mal a Jorge Jesus encontrar nos erros de arbitragem a boia de salvação para justificar as suas derrotas, no sentido em que os erros de arbitragem não justificam tudo e o treinador do Benfica deveria assumir os seus próprios erros.

Como já aqui referi, todas as equipas do nosso campeonato já foram beneficiadas e prejudicadas pela arbitragem e os árbitros não erram intencionalmente. Sobre este tema estou perfeitamente de acordo com Leonardo Jardim, treinador do Sp. Braga, que prefere não se pronunciar sobre arbitragem e não ser hipócrita como outros, que se queixam quando perdem e se calam quando ganham.

Também quero deixar aqui uma palavra de apreço a Ricardo Sá Pinto, treinador do Sporting, que consegue pôr a jogar uma equipa de futebol com a garra e a atitude leonina que faltou no tempo em que Domingos Paciência era o treinador, conseguindo resultados positivos.

Concluindo, penso que o FC Porto deverá ser novamente o campeão nacional de futebol, apesar de ainda haver tempo para que tudo se altere. Até porque no futebol já vi de tudo. Veja-se o caso do Real Madrid que tinha dez pontos de vantagem sobre o Barcelona e agora já só tem quatro, ou o caso do Benfica que desperdiçou 13 pontos em oito jornadas.    

 



publicado por Bruno Carvalho às 10:52
link do post | comentar | ver comentários (6)

Quinta-feira, 5 de Abril de 2012
Porque a vida também é feita a correr...

       

A ditadura do poder dominante na suposta era da democratização comunicacional

 

 

 

           O Benfica foi ontem eliminado nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, perdendo 2-1 frente ao Chelsea.

         Depois da derrota na primeira mão as águias necessitavam duma exibição apoteótica para poder acalentar o sonho da reviravolta em Stanford Bridge.

         Perante uma das equipas mais regulares da Champions da pretérita década à partida, jogando em terreno alheio a tarefa seria árdua para os comandados de Jorge Jesus.

         Não virando a cara à luta, jogando um futebol rápido, prático e circular o Benfica conseguiu juntar à habitual vertigem da velocidade uma organização deveras melhorada.

Ao longo do jogo o Clube da Luz dispôs de diversas oportunidades de golo, dominou o jogo, não deixando o Chelsea ter a bola que pretendia e espelhou em toda a Europa toda a sua qualidade e dignificou o nome histórico que construiu nas últimas 5 décadas.

Tudo fizeram os encarnados para poder sonhar com uma reviravolta histórica em solo britânico, mas mais uma vez prevaleceu a lei do mais forte. Mais uma vez não houve critérios iguais e sempre que o Chelsea se sentia apertado a exibição habilidosa da equipa de arbitragem fazia favor de acalmar as hostes londrinas. Foi assim na grande penalidade cometida sobre Cole, foi assim na dualidade de critérios disciplinares ao longo do encontro e da expulsão da Maxi Pereira.

         Mesmo jogando em inferioridade numérica em mais de metade do jogo, sem os 4 centrais de raíz, tendo que recuperar 2 golos o Benfica construí mais uma noite europeia fantástica, tão similar com tantas outras na história do futebol europeu. Empatou o jogo e teve oportunidades para passar para a frente da eliminatória, no último suspiro Meireles pintou a eliminatória com a injustiça total…

         Com todas as condicionantes o Benfica deixou perante todo o universo futebolístico europeu a qualidade do futebol português. Factores externos impediram o Benfica de figurar entre os 4 melhores do futebol Mundial e de ombrear taco-a-taco com o Barcelona um lugar na mágica final de Munique.

         O capitalismo do futebol actual e os interesses dos grandes europeus não ficaram apenas em Stanford Bridge. Na Catalunha, mais uma vez a vergonha continuou a patentear o reinado de Pep Guardiola à frente da equipa blaugrana, num protecionismo onde já não existem mais palavras que o consigam patentear.

         Depois dos 5 penaltys de Ovrebo, depois da expulsão de Thiago Motta, depois da expulsão de Van Persie e do penalty sobre Messi frente ao Arsenal, depois da expulsão habilidosa de Pepe, depois da simulação da década de Mascherano ainda houve tempo para mais um actuação teatral de Messi, um penalty inventado e um golo limpo ao AC Milan invalidado…

Até quando é que isto vai durar? Até quando a protecção à melhor equipa da história do futebol, para alguns dos desportos colectivos, que precisou destes 13 pormenores para construir o seu legado…

         Fora todos estes casos estranhos sob o comando de Guardiola o Barça eliminou em 2008/2009 o Lyon de França e o Bayer de Munique (que teve um campeonato alemão fraco). Em 2009/2010 eliminou o sexto classificado do campeonato alemão Estugarda e o terceiro classificado do campeonato inglês, desde cedo arredado do título- Arsenal. Em 2010/2011 eliminou o campeão da Ucrânia e em 2011/2012 eliminou o 7º classificado germânico Bayer Leverkusen.

         Um legado construído e difundido em mentiras, calúnias, favores e uma ignorância estatística absolutamente assombrosa.

         Pelo meio duas vitórias merecidíssimas frente ao Manchester United… Se só com o United conseguem ganhar sem polémica, como podem ser a melhor equipa da história?

         Guardiola- 6 confrontos frente a pretendes à Champions, 5 vitórias (3 com a ajuda arbitral) e uma derrota (mesmo com favorecimento).

         Mas precisamos de espectáculo e de ser réplicas e veneramo-nos a este Barcelona, construído, consolidado e difundido numa mentira que só o sistema actual de comunicação social pode propagandear… Nós continuamos activamente passivos a subvertemo-nos à logica do poder dominante… Sem questionar, sem problematizar, na era da democratização comunicacional…

         Até quando?



publicado por João Perfeito às 15:19
link do post | comentar

Quarta-feira, 4 de Abril de 2012
Lado B

Balanço da Liga de futebol à 25ª jornada

 

 

Quando faltam apenas 5 jornadas para terminar os campeonatos profissionais de futebol em Portugal, ainda está tudo por decidir. Aliás, este é com certeza o campeonato mais equilibrado e competitivo dos últimos anos.

Esta época, a Liga Zon Sagres já teve sete mudanças na liderança do campeonato e já conheceu quatro líderes diferentes (Vitória de Setúbal, FC Porto, Benfica e Sporting de Braga).

Neste momento, o FC Porto está de novo no topo mas ainda não está nada decidido, na medida em que apenas tem um ponto de avanço sobre o Benfica e dois sobre o Sporting de Braga, sendo que com 15 pontos por disputar até ao fim do campeonato, até o Marítimo e o Sporting ainda podem ser matematicamente campeões, embora todos nós reconheçamos que é praticamente impossível que lá cheguem.

Relativamente ao jogo entre FC Porto e Olhanense, que culminou na vitória dos “dragões” por 2-0, destaco novamente a disponibilidade de Hulk para os duelos individuais com os guarda-redes (já tinha acontecido em Paços de Ferreira com Cássio e aconteceu agora com Fabiano Freitas frente ao Olhanense), não conseguindo marcar nenhum golo.

Quanto ao duelo entre Benfica e Braga, destaco o facto de ambas as equipas terem demonstrado muitas cautelas e alguns temores na primeira parte do jogo, mostrando que ambas têm receio de perder pontos neste momento.

Já o Sporting voltou a mostrar que está melhor com Ricardo Sá Pinto do que estava com Domingos Paciência, quebrando finalmente o jejum de cinco meses sem vencer fora de casa para o campeonato, graças ao excelente momento de forma que atravessa Matías Fernández justificando plenamente a sua alcunha de “Matigol”. Aliás, penso que a melhor decisão de José Eduardo Bettencourt enquanto presidente do Sporting foi ter contratado Matías Fernández ao Villarreal.

Na luta pela manutenção, o meu destaque vai para a fuga do Vitória de Setúbal à despromoção, que com os 27 pontos que já tem amealhados, penso que já praticamente assegurou a permanência na Liga principal de futebol, o que se deve sobretudo ao excelente trabalho que José Mota tem desenvolvido desde que chegou a Setúbal. Também o Beira-Mar deu um passo importante rumo à permanência ao vencer um adversário direto fora de casa, na circunstância o Feirense, ficando com cinco pontos de avanço sobre a primeira equipa abaixo da linha de água (o União de Leiria).

Na minha opinião, União de Leiria e Feirense estão praticamente condenados à descida de divisão dada a distância que já têm para a Académica, a primeira equipa acima da zona de despromoção, de cinco e seis pontos respetivamente.

Por fim, quero também salientar a grande recuperação que o Paços de Ferreira conseguiu fazer desde a chegada de Henrique Calisto, mostrando que de facto o campeonato não é como começa mas como acaba. Aliás, Académica e Paços de Ferreira são o espelho disso mesmo, ou seja, a Académica começou muito bem mas ainda não tem a manutenção garantida, enquanto o Paços de Ferreira começou muito mal e já tem a permanência quase assegurada.

 

Na Liga de Honra, também ainda está tudo por decidir. Estoril, Moreirense e Desportivo das Aves estão numa luta acesa pela subida de divisão, sendo que duas destas equipas vão subir à Liga Zon Sagres e a outra continuará na Liga Orangina na próxima época.

Quanto à descida aos escalões não-profissionais de futebol está tudo em aberto, no sentido em que até o 4º classificado (a Naval) ainda não tem a manutenção matematicamente assegurada.

 



publicado por Bruno Carvalho às 13:03
link do post | comentar

Segunda-feira, 19 de Março de 2012
Livre Directo

Sorteio das competições europeias

 

 

Na passada sexta-feira, o sorteio das provas europeias colocou o Chelsea no caminho do Benfica, na Liga dos Campeões, e o Metalist perante o Sporting, na Liga Europa. Ficou a saber-se quais os jogos dos quartos de final de ambas as competições, assim como os possíveis encontros das meias-finais.

 

Começando pela Liga dos Campeões, pode-se dizer que o Benfica teve um sorteio que permite à equipa sonhar com uma passagem à ronda seguinte. Os blues conseguiram dar a volta à eliminatória perante o Nápoles nos oitavos de final, no seu estádio, após a derrota da 1ª mão. Apesar de um passado recente menos positivo, o Chelsea afigura-se como um adversário algo difícil. No entanto, o facto de evitar Barcelona e Real Madrid nesta fase é, já por si, motivo de alguma esperança na passagem às meias por parte dos benfiquistas

 

O jogo grande desta fase é, sem dúvida, o AC Milan-Barcelona. Provavelmente, assistir-se-á à passagem dos espanhóis, mas como números bastante diferentes em relação à eliminatória anterior (10-2, perante o Bayer Leverkusen). Parece-me que o resultado desta eliminatória será bastante equilibrado.

 

Outro dos jogos desta fase é o Marselha-Bayern Munique. A equipa francesa não tem uma tarefa muito fácil. O Bayern Munique, apesar de ser de um campeonato com menos visibilidade, apresenta-se mais uma vez com um dos grandes candidatos a chegar à final da prova. Portanto, prevejo a passagem da equipa alemã.

 

Aquele que é considerado o confronto mais desequilibrado opõe o APOEL e o Real Madrid. A equipa da capital espanhola não terá, certamente, dificuldades para eliminar os surpreendentes cipriotas. Após ter eliminado o Lyon, o APOEL tem agora uma tarefa ainda mais complicada pela frente. No entanto, já ficou bem provado que é capaz de lutar contra todas as expectativas, pois era visto como um dos mais prováveis candidatos a ter ficado pela fase de grupos.

 

Já na Liga Europa, o Sporting teve alguma felicidade no sorteio, pois evitou as equipas espanholas que são vistas como as equipas mais fortes ainda em competição. Penso que, após ter eliminado o Manchester City, tem todas as possibilidades de eliminar esta equipa ucraniana. No entanto, são precisas algumas cautelas pois é uma equipa que apresenta um elevado poderio ofensivo.

 

O jogo mais desequilibrado desta ronda é o Atlético Madrid-Hannover. Com este sorteio os madrilenos podem perfeitamente sonhar em estar novamente presentes na final.

 

O AZ Alkmaar-Valência é outro dos jogos desta eliminatória, do qual se prevê a passagem da equipa espanhola. Por  último, o jogo mais equilibrado é o Schalke-Athletic de Bilbao, pois esta poderia ser perfeitamente a final deste ano. A equipa basca, depois de eliminar os favoritos do Manchester United, é vista agora com uma das favoritas a vencer a prova. 

 

 

Por Cláudio Guerreiro



publicado por Cláudio Guerreiro às 19:59
link do post | comentar | ver comentários (3)

Segunda-feira, 5 de Março de 2012
Livre Directo

Benfica: problema central

 

 

 

No último Benfica-FC Porto após a lesão do central benquista Ezequiel Garay, Miguel Vítor entrou para o seu lugar. Já nesta temporada quando algo se passava com Luisão ou Garay que os impedisse de continuar em campo, o jovem central era sempre chamado para os substituir. Apesar da dupla Luisão-Garay ser a que mais vezes joga, Miguel Vitor cumpre o seu serviço quando entra em campo. Não foi pela lesão de Garay e pela entrada de Miguel Vítor em campo que o Benfica perdeu o jogo.

 

Contudo, no jogo seguinte à indisponibilidade de um dos centrais habitualmente titulares quem surge entre os titulares é Jardel e não Miguel Vítor. Não coloco em questão as exibições de Jardel e a qualidade do jogador, que até nem compromete a equipa, mas sim a falta de critério de Jorge Jesus. Seguindo a lógica de muitos treinadores o central que levam para o banco de suplentes seria ele o central que substituiria um companheiro aquando da sua indisponibilidade.

 

Isto só passa a ideia de que Jorge Jesus não tem a confiança necessária para colocar o central português entre os 11 titulares. Caso esta situação continue não me admiraria que Miguel Vítor reivindicasse a saída do clube que o formou. Só a jogar com regularidade é que Miguel Vítor poderá se desenvolver enquanto jogador e aspirar a chegar à Seleção Nacional



publicado por Cláudio Guerreiro às 22:03
link do post | comentar


pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010