Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

18
Set11

Área de Ensaio

Pedro Santos

Resultados, Análise e Estatísticas II

 

 

       Entrámos na segunda semana do Mundial, e o que se pode dizer é que o campeonato tem correspondido às melhores expectativas. Grandes jogos, equipas mais pequenas a fazer frente aos candidatos e resultados mais ou menos inesperados, tem sido isto a imagem de uma semana de Rugby World Cup.

 

      

No Grupo A, esta semana realizaram-se 3 jogos. Depois da derrota com a Nova Zelândia, a equipa de Tonga precisava de uma vitória sobre o Canadá para continuar a disputar o 3º lugar. Contudo os homens da América do Norte mostraram que o seu rugby, apesar de ser poucas vezes posto à prova, é de qualidade. A vitória do Canadá por 25-20, até nem expressa o domínio que Tonga teve no jogo. A selecção do Pacifico dominou a posse de bola e o território, mas um ensaio a menos ditou o resultado final. O homem do jogo foi o canadiano Adam Kleerberger.

 

       Dois dias depois os anfitriões receberam o Japão que tão boas indicações havia dado no jogo com a França. Mas a superioridade All-Black foi tal que os 83-7 até são escassos.  Na Nova Zelândia regressaram à titularidade Keven Mealamu ou Sam Withelock, enquanto que Dan Carter descansou, já a pensar na França. Os All-Blacks dominaram a posse de bola e transformaram-na em 13 ensaios, naquele que é o resultado mais desnivelado até agora.

 

       Ainda no grupo A, a França e o Canadá encontraram-se esta madrugada. A França venceu por 46-19, contudo os franceses, tal como com o Japão, voltaram a não impressionar, e até o seleccionador francês reconheceu que é preciso melhorar, apesar de o segundo lugar já não fugir. A França dominou a posse e o território, e os 4 ensaios permitiram o ponto bónus. O homem do jogo foi o francês Louis Picamoles, o excelente número 8.

 

       O Grupo B voltou à acção no dia 14, com a Escócia a encontrar a Geórgia. Foi uma vitória “feia” num jogo sem ensaios (15-6). A Escócia voltou a demonstrar problemas contra o fortíssimo pack avançado georgiano (aconteceu o mesmo com a Roménia), e as duas vitórias escocesas deixaram muitas interrogações no ar. A Escócia dominou a posse e o território, e o homem do jogo foi o escocês Kelly Brown.

 

       Quem não podia falhar era a Argentina, depois da derrota com a Inglaterra, um deslize dos Pumas acabava com as hipóteses da passagem aos quartos de final. Mas contra a Roménia os argentinos cumpriram e não deram hipóteses aos romenos. O resultado de 43-8 expressa bem a superioridade. A Argentina inteligentemente fugiu do confronto nos avançados (onde os romenos são superiores) e dominou a bola e o terreno, tendo passado o mais de 13 minutos na área de 22 metros da Roménia.

 

       Já esta madrugada a Inglaterra jogou com a Geórgia e infligiu a segunda derrota aos georgianos. O resultado de 41-10 deixa transparecer algumas falhas inglesas, que tal como os outros candidatos está longe do nível que se pretende. A posse de bola foi dividida e a Geórgia até dominou territorialmente, mas os 6 ensaios ingleses desequilibraram a contenda. O homem do jogo foi o “asa” georgiano Mamuka Gorgodze.

 

       O grupo C, apenas teve dois jogos desde a última semana. No dia 15 a Rússia defrontou os EUA. Depois das boas indicações americanas contra a Irlanda, os EUA voltaram a mostrar eficácia e bateram os estreantes russos por 13-6. Um ensaio bastou para os EUA se superiorizarem, num jogo fraco e sem grande atractividade. Os EUA foram superiores em todos os aspectos do jogo e os russos acusaram a falta de experiência.

 

       A grande surpresa foi mesmo a vitória da Irlanda sobre a Austrália. Num jogo sem ensaios (15-6) os irlandeses deram boa conta de si, e afastaram assim alguns “fantasmas”. A Austrália fica assim numa posição difícil, pois a Irlanda ganhou vantagem na luta pelo 1º lugar. Tudo indica que agora nos quartos de final iremos assistir a um Austrália África do Sul.

 

       Por fim o grupo D, continua a mostrar uma superioridade sul-africana, que venceu as Fiji por 49-3. A impressionante defesa sul-africana anulou por completo o eficaz jogo à mão das Fiji, e os 6 ensaios contra 0 mostram bem como foi o jogo. Dominando a posse de bola, tudo ficou mais fácil para os africanos, que ainda viram Danie Rossouw ser eleito homem do jogo (impressionante tanto a atacar como a defender).

 

       O último jogo deste grupo realizou-se já esta madrugada, com o País de Gales a vencer Samoa por 17-10. Neste momento o País de Gales é o mais forte candidato a passar aos quartos de final, e o jogo com as Fiji irá ser uma verdadeira batalha pelo apuramento, isto se as Fiji vencerem Samoa no próximo dia 25.

 

       Apesar das más horas dos jogos tem valido a pena assistir a este mundial. E com os grandes jogos a aproximarem-se a recomendação é mesmo perder umas de sono e ver rugby de qualidade superior.

 

By Pedro Santos 

 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.