Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

08
Jul11

Voleibol à Sexta

Sarah Saint-Maxent

Liga Mundial sem surpresas

 

          É uma seca, mas é verdade verdadinha: estou de férias e não posso assistir ao raio dos jogos da última fase da Liga Mundial de Voleibol, que se vai realizando nestes dias na Polónia. Isso não me impede, no entanto, de mandar uns bitaites sobre o que se vai passando, quando sei os resultados.

http://www.fivb.org/Vis2009/Images/GetImage.asmx?No=201112662&maxsize=500

          O Brasil, a Rússia e a Argentina já asseguraram três dos lugares de semi-finalistas e, na minha opinião, sem surpresas. Não creio que o Brasil esteja tão forte como já esteve: começou esta última fase, no jogo contra Cuba, alguns furos abaixo do que pode - Cuba chegou a ter bola de jogo no 4º set - e isso tem sido recorrente nos últimos tempo. Aliás, não é normal que, do primeiro para o segundo jogo, o selecionador brasileiro altere o seis inicial quase inteiramente: só a entrada como titular de Giba (que, apesar de ser um jogador que adoro e continua a ser brilhante, já não está no pico da forma) demonstra algumas inconsistências da turma canarinha.

          As duas vitórias alcançadas pela Rússia não espantam, sobretudo pela consistência que a equipa tem demonstrado. duas vitórias relativamente fáceis, contra Cuba e Estados Unidos, são disso prova. A seleção russa falha pouco e é, sobretudo muito eficaz no ataque - pudera!, já viram aquelas impulsões? -, ao mesmo tempo que continua a ser das poucas que consegue, recorrentemente, causar dificuldades no serviço.

          A Argentina, apesar da sua equipa jovem, tem feito um bom torneio e não é de estranhar que consiga chegar a esta fase. A juventude dos atletas não se tem refletido em grandes falhas de concentração - na verdade, e embora para já o título esteja, na minha opinião, um pouco longe, a seleção sul-americana tem tudo para ser um peso-pesado do voleibol internacional nos próximos anos.

          Resta um lugar, que pode ser alcançado por qualquer uma das equipas que constituem o grupo E, embora a seleção italiana leve, para já, vantagem sobre as congéneres búlgara e polaca - vantagem que, dado que vai jogar hoje contra a Bulgária, pode garantir um lugar pouco surpreendente nas meias-finais.

          Em suma, não se pode dizer que as semi-finais constituam uma surpresa: pela prestação que têm tido, este «alinhamento» não surpreende. O que é uma pena para, por exemplo, a equipa cubana: a não-convocatória de três dos habituais titulares, incluindo o capitão Simon - dizem as más-línguas que para impedir uma fuga dos atletas durante a estadia na Polónia - pode ter tido uma forte influência nisso. Também os Estados Unidos saíram de expectativas goradas, no último lugar do grupo F - verdade seja dita que o sorteio dos grupos não ajudou muito, mas ainda assim...

 

by Sarah Saint-Maxent

Esta crónica foi escrita ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.