1 a zero:
De João Perfeito a 1 de Julho de 2011 às 23:24
Concordo por completo. Assisti ao jogo e fiquei perplexo. Mas no fundo no primeiro e segundo set praticamente estavamos dependentes de Valdir. Quando o experiente técnico da Finlância acertou o bloco Valdir revelou grandes dificuldades.Acho que Valdir joga demasiado na diagonal e Gaspar este longe do habitual. . Melhor no serviço que no ataque. Por outro concordo que a ausência se João José não tenha sido determinantes. Malveiro penso que está a crescer tacticamente e Ruca tem um remate rapidíssimo. Achei o Flávio demaisado ansioso e com pouca capacidade de rematar de zona defensiva. O Carlos Teixeira acho que deveia ter defendido mais atrás para ter mais tempo de reacção.

Estive a reparar nos pormenores tácticos e reparei que apenas dois jogadores finlandeses defendiam o serviço de Malveiro, quando este com o seu serviço flutuante provoca dificuldades na recepção. Não percebi.

Depois tenho outra dúvida, existem formações em que os jogadores parece que estão em curva e todos na linha defensiva isso é para que? Será para o Valdir vir de trás embalado?


De Sarah Saint-Maxent a 2 de Julho de 2011 às 08:54
essa organização na receção, em que tu reparaste, não tem nada a ver com o preparar do ataque: de facto, na maioria das vezes (nas seleções, sempre) são os dois pontas e o libero que recebem, independentemente da posição em que estejam (mesmo que estejam em zona de ataque) e, devido a essas mesmas posições, é necessário que os jogadores que estão atrás (o jogador de 1 tem que estar atrás do de 2, o de 6 atrás do de 3 e o de 5 atrás do de 4) se mantenham meeesmo atrás, para não haver falta de formação.
normalmente são estes três jogadores que recebem pelo simples facto de, à partida, serem melhores nessa acção.
assim, imediatamente a seguir à bola ser recebida, ocupam todos as posições habituais: valdir, se está atrás, em 1, flávio cruz ou manuel silva em 6 e carlos teixeira em 5 (normalmente é esta a organização). o ponta que não está atrás toma rapidamente o lugar na posição 4, normalmente, para atacar a bola na entrada... (ainda que haja uma rotação em que ataca na saída para não atravessar todo campo de jogo)


Comentar post