Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

02
Jan11

Fogo sem Fumo

Minuto Zero
Os 3 grandes – Balanço e Perspectivas

Acabou 2010 e como tal, penso que é tempo de fazer um resumo daquilo que foi o ano transacto para os três grandes do futebol português e por outro lado, fazer um género de previsões para a segunda metade da actual época. Como nestas situações a ordem pela qual se escreve é sempre um dos pontos relevantes e indicador de preferências subjectivas, escolhi um critério (objectivo) para expor as minhas ideias – a sequência classificativa do último campeonato de futebol. Assim sendo:
Benfica – Dois mil e dez parece ser o ano do tudo ou nada, do ser e não ser, de uma coisa e do seu oposto para os lados da Luz. Devido à clara clivagem nas performances dos encarnados, o ano divide-se em dois semestres. No primeiro, um Benfica demolidor, uma forma de jogar a que eu nunca tinha assistido nas águias (talvez, justificável pelo facto de ter nascido no início dos anos 90 – altura em que começou a agonia benfiquista), vitórias atrás de vitórias, uma equipa a arrastar o sonho e a vontade dos adeptos. Só em Anfield e aos pés do Liverpool, foi travado um Benfica que se afigurava como potencial vencedor da Liga Europa. No fim do primeiro semestre, os benfiquistas somaram duas conquistas: A Liga e a Taça da Liga. Um semestre que ainda hoje deve estar presente nos sonhos de muitos adeptos, o que se percebe, pois o Benfica tanto ganhava no campo, como também somava pontos cada vez que os confrontos se disputavam em túneis.
O segundo semestre coincide com a nova época (a actual) e a chama, o brilhantismo, as vitórias e as exibições de gala desapareceram. Desde o treinador (outrora, o Messias) aos jogadores, nada parece ser igual. Desde derrotas surpreendentes a humilhações, já tudo aconteceu ao Benfica versão 2010/2011. Recambiado da Liga dos Campeões, onde não se confirmou a antiga promessa de Jorge Jesus para a Liga Europa, o Benfica poderá apenas sonhar com a Taça de Portugal e/ou a Taça da Liga. O campeonato e a Liga Europa parecem estar longe de ser alcançáveis a este Benfica. O ano passado viu o melhor Benfica dos últimos vinte anos, mas também aquele que já vinha sendo hábito desde meados dos anos 90.

Porto – Se o compararmos ao Benfica, é o inverso: 1º semestre – recusou-se jogar futebol, 2º semestre – um Porto à Porto, isto é, uma equipa a jogar como nos habituou nas últimas décadas. O azarado Jesualdo deu lugar a um talentoso Vilas Boas e os dragões que já não se viam afastados da Liga dos Campeões há uns anos, estão a demonstrar esta época que têm saudades e que o regresso está para breve. De positivo nos últimos tempos do 1º semestre, destaca-se a conquista da Taça de Portugal. Facto que não conseguiu fazer esquecer o 3º lugar no campeonato. Esta época viu chegar ao Porto um treinador novo e com fama de ser “parecido” com José Mourinho, seu mentor. Da desconfiança geral passou-se a uma certeza absoluta, o Porto de Vilas Boas joga tanto ou mais futebol que aquele que dominou a Europa durante o reinado do Special One. Este Porto caminha a passos largos para mais um título de campeão nacional e promete na Liga Europa. A Taça de Portugal e a Taça da Liga, se forem encaradas de uma forma séria e não servirem para rodar a equipa, também não escaparão aos azuis e brancos. A segunda metade do ano foi um passeio para os dragões e pelo meio, ainda conseguiram golear os seus velhos rivais, o Benfica, com uns expressivos 5-0. Uma tareia das antigas.

Sporting – Em Alvalade, não há semestre, trimestres ou o quer que seja. Mudam jogadores, equipas técnicas, directores, mas o futebol lento, desagradável e chato não se altera. O Sporting atravessa um difícil período e 2010 foi mais um ano para esquecer. Das declarações infelizes dos dirigentes às prestações medíocres dos jogadores, nada fica a registar como positivo. Na época passada, a Liga Europa ainda parecia prometer algo, mas num jogo quente frente ao Atlético de Madrid, o Sporting de Carlos Carvalhal acabou eliminado. Liga, Taça e Taça da Liga foram igualmente outras desgraças. O 4º lugar da época passada garantiu a Liga Europa ao Sporting deste ano e para já, as coisas parecem melhores, vitórias folgadas e exibições mais sólidas demonstram que existe um Sporting a nível interno e outro – consideravelmente melhor – a nível europeu nesta época 2010/2011. A Taça de Portugal terminou no Bonfim. A Taça da Liga, apesar de parecer enguiçada para os leões, começa por estes dias e ainda poderá reservar surpresas. O campeonato, esse há muito que terminou para a equipa de Paulo Sérgio. Deve lutar para manter o 3º lugar, se o conseguir já se pode dar por contente, em razão do futebol que tem praticado. O Sporting necessita de uma grande reflexão ou habilita-se a que anos como o de 2010 passem a ser o habitual nas hostes leoninas.

Em suma, 2010 deu para assistir a um Benfica que de águia passou a passarinho, a um Porto que após um interregno de meio ano voltou a ser aquilo que tem sido nos últimos anos e a um Sporting bastante regular – isso é indiscutível – o problema é o facto de ser regular em mau futebol e em fracassos. Em relação a 2010, estamos conservados… Então, que venha 2011 que é preciso a bola para animar a malta.

by Alexandre Poço


16 comentários

Comentar post

Pág. 1/2