Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

01
Out10

Pelos caminhos do futebol... Vila Belmiro "Pop Stars" FC

Minuto Zero
Querem dois motivos para ver o futebol brasileiro??

Paulo Henrique "Ganso" e Neymar, jogadores do Santos Futebol Clube, o mesmo onde jogou Pelé nos seus anos áureos, o mesmo que formou jogadores como Robinho, Diego ou Elano.

Elevados quase ao estatuto de Pop Stars brasileiras, valem milhões de euros, tanto os seus passes como a sua imagem. Apareceram sobretudo esta temporada em grande plano, antes do Mundial da África do Sul, no campeonato Paulista que o Santos conquistou.

Ao lado do seu ídolo, Robinho, um "moleque" franzino, corpo quase pele e osso, bola no pé direito, finta curta, malabarismos típicos da idade, irreverente, parte para cima do adversário mesmo que este tenha idade para ser seu pai...  Neymar é, hoje em dia uma das maiores esperanças do Brasil para o Mundial de 2014. Parece algo frágil fisicamente, precisa de crescer como atleta, tornar-se mais robusto, ganhar intensidade no seu jogo, que lhe permita impor o seu futebol num grande campeonato europeu.
Diz-se que terá rejeitado ir para o Chelsea, não gostando da opção de ir para o campeonato inglês, que exige mais capacidade física e a tal "intensidade competitiva". Não seria de facto uma opção muito correcta, pelo menos tendo em conta exemplos de jogadores similares... Robinho por exemplo. Espanha ou Itália, seriam os campeonatos onde o seu futebol teria mais impacto inicial, e onde com um trabalho bem produzido poderia sem dúvida tornar-se um jogador de top.
A questão do crescimento físico é no caso de Neymar também algo que deve ser tratado com cuidado.  Trabalhar fisicamente sim, mas sem nunca adulterar o que de melhor tem o seu futebol.
No Santos joga como segundo avançado, móvel, em diagonais, muitas vezes até serpenteando por entre os defesas. Na Europa terá tendência em cair para uma faixa, mover-se mais próximo da linha lateral e longe da baliza adversária, quase como um extremo.
Tem claramente potencial para ser um jogador para marcar uma geração. A grande questão sobre Neymar é no entanto outra: a vida como autêntica Pop Star no Brasil, tem potenciado algumas atitudes irreflectidas; irreverente, Neymar tem criado alguns problemas, detecta-se alguma falta de humildade no miúdo que passou do nada ao tudo na vida.

retirado de: 
                                                             sozacaricaturas.blogspot.com



Por outro lado, Paulo Henrique, ou "Ganso" como lhe chamam, é um 10, quase num estilo classico. Bola nos pés cabeça levantada, depois tem a essência do passe no seu corpo que embora esguio aguenta bem os confrontos físicos. Tem 184m de pura elegância. Parece retirado do passado do futebol brasileiro, e caído de para-quedas no físico e agressivo futebol moderno, onde, apesar dos seus ainda 20 anos, já deixou de boca aberta todo o Brasil, deixando os grandes europeus de água na boca.
Em campo move-se quase com pezinhos de lã, faz lembrar Zidane em certos momentos. Bola colada á bota, não é jogador de grandes dribles e fintas, joga para a equipa, corre, passa, repassa, acompanha a defender os adversários, sempre com elegância e uma percepção do jogo fora de série.
Quando a bola lhe sai das botas vai mais redonda, não importa se é uma daquelas que todos criticam por ser "demasiado redonda" ou um farrapo... a essência do seu futebol está no passe e na forma superior como entende o futebol, inventando espaços por entre um emaranhado de defesas, com um golpe de génio deixar o seu companheiro na cara do guarda-redes.

retirado de: 
                                                                         band.com.br

Parece no entanto ser algo lento na forma como executa o passe. Dribla e pára para o executar, mas nesse curto espaço de tempo que demora a "parar" está a grande dúvida acerca da sua carreira. Num futebol sul-americano, mais lento, com mais tempo para se pensar-executar o seu génio fluí com eficácia.. mas na Europa o jogo ganha novos ritmos e é necessário executar quase tão rápido como se pensa. Foi esse mesmo o problema da carreira de Juan Roman Riquelme, que chegado com rótulo de génio do Boca para o Barça nunca se impôs plenamente na Europa, porque não tinha a tal velocidade de execução que se exige, embora o pensamento fosse não só rápido mas também genial.
Se corrigir este pormenor está aqui um bola de ouro, senão, e isto resulta também para Neymar, resta-lhe um dia voltar ao Brasil, como uma eterna promessa de 30 anos, que nunca se impôs.


retirado de: 
                                                                    colunistas.ig.com.br
Humildade e muito trabalho são a receita para se passar de uma promessa a uma verdadeira Super-estrela... porque ser pop-star dura menos do que parece, mas uma bola de ouro deixa o nome gravado para a eternidade.

By Tiago Santos