1 a zero:
De João Perfeito a 31 de Maio de 2011 às 03:27
1º Finalmente o Barcelona conseguiu fazer um jogo bem conseguido perante gigantes do futebol Mundial 2 anos depois. Depois do escussado sofrimento contra o Chelsea e do banho táctico do Inter no ano passado, sem falar do equilibradíssimo duelo com o Real em igualdade numérica. Curiosamente o adversário foi o mesmo Manchester. Em 8 jogos tiveram sucesso (jogando o seu futebol) em 2 e os dois contra o Manchester. Gostei de ver a forma desinibida como o tiki-taka funcionou apesar dos nervos da final. Concordo na perspectiva da qualidade do Barcelona. Mas discordo na qualidade do jogo. O Manchester foi uma equipa que não soube entender as incidências tácticas do jogo e tirando os primeiros 10 minutos perdeu-se completamente. Marca um golo num lance fugaz. Aqui está um dos pontos fracos do Barça, uma equipa que ambiciona querer um legado histórico não pode sofrer tantos golos em tão poucas oportunidades dos adversário jogo após jogo após jogo. Espero pela Supertaça Europeia... Onde penso que os argumentos do Porto são mais eficazes
2- Faltam equipas como o Gil ao nosso campeonato. Pena é que o Norte ganha cada vez mais quase um monopólio no nosso campeonato. As equipas a sul do estão cada vez pior.
3- Penso que Domingos fez mal em ir para o Sporting. No meu entender terá poucas oportunidades de ganhar e algumas de ficar em 2º. Só uma grande campanha europeia o mantém na crista na onda. Caso contrário perderá o fulgor mediático que actualmente dispõe que naturalmente fruto da sua competência recuperará.
4- Djokovic é uma grande incógnita. Faço a analogia entre ele e o Porto. Um domnínio assombroso sem concorrentes. Mas só testamos verdadeiramente o Porto quando a equipa ganhou em Braga e aop Guimarães no campeonato e disse não ao sonho ímpar do Benfica. Quando goleou equipas de pergaminhos europeus e quando fez a remontada mais surpreendente da década. A Djokovic falta-lhe isto- falta-lhe ganhar em Roland Garros. Falta-lhe ganhar mais 2/3 Masters Series e falta-lhe acabar o ano como número um.
Penso que o grande favorito é Rafael Nadal. Nadal na minha opinião é um jogador à parte dos outros. No fundo é como McEnroe é o único no Mundo que pode ganhar jogando mal. Federer face a Djokovic nas meias terá de jogar ao seu mais alto nível (2004 e 2005) e Djokovic igualmente. Ambos se enfrentarem Nadal na final terão de lidar com o estigma de jogar em Roland a Garros a final contra Nadal. Nadal é um monstro psicológico e em jogou como na segunda ronda. Em que recupera de 1-5 para 7-5 evitando 8 set points e estando a perder 40-0 no 7º jogo que mostra que tem uma alma diferente dos outros. É aqui que ele cresce mesmo jogando mal motiva-se e acredita. Vencer nadal em Roland Garros é como vencer o Barça em Camp Nou. Caso o consigam fazer teremos o efeito contrário e Nadal desmotivar-se-à. Mas par amim quanto mais Nadal joga mal, desde que não perca muitos sets melhor para ele- porque crescerá ao longo do torneio e aí é que se vê quem é melhor. Mas sobretudo quem ganha é o ténis.


De Sarah Saint-Maxent a 31 de Maio de 2011 às 13:30
fico feliz por não ser a única a achar que o federer vai ganhar Roland Garros: tem estado ao mais alto nível, a ultrapassar os obstáculos com classe e facilidade, e não tem nada a perder.
espera-se, hoje, um super jogo entre o suíço e o show-man monfils, que tem também jogado um excelente ténis...
de qualquer forma, djokovic está sem dúvida num grande momento de forma... e só o facto de ter batido nadal em terra batida, por duas vezes, «aterroriza» todos os outros...


De Simão Santana a 1 de Junho de 2011 às 11:32
Quanto a mim o Nadal não está no melhor das suas capacidades para conseguir vencer. O Djokovic está realmente em excelente forma, tanto a nível físico, como a nível mental. Apesar de querer ver o Federer a conquistar pela segunda vez RG, temo pelo grande momento do sérvio.
Apesar disso, Federer tem quanto a mim uma vantagem... a experiência e o "jogo de princesa" que voltou a exibir, quase sem pousar os pés no chão e sem correr muito!


De Steve Grácio a 1 de Junho de 2011 às 14:38
Federer hoje voltou a passear classe e "despacohu" facilmente Monfils...pode nao ser o melhor em terra batida, pode nao ser o favorito, mas penso que vencerá, jogar sem pressão torna-o mais forte.


De Cláudio Guerreiro a 2 de Junho de 2011 às 00:16
Também tenho estado em "Modo Roland Garros" nos últimos dias. A competição masculina tem sido até agora o que toda a gente estava à espera, mas a feminina tem estado ao rubro. Desde logo as eliminações precoces das 3 primeiras do ranking: Kim Clijters(veio de lesão e não teve muito tempo de preparação, se bem que quando voltou a competir ganhou logo um Grand Slam) Wozniacki (ela está a sentir a pressão pelo facto de lhe serem pedidos resultados de nº1, pressões essas que Dinara Saina sentiu há uns tempos); Vera Zvonareva. Azarenka também já ficou pelo caminho face uma Na Li surpreendente.
Surpreendente tem sido a Bartoli, nunca a colocaria entre as potenciais semi-finalistas, mas ela aí está pronta para lutar contra a schiavone. Acho que a italiana pode muito bem renovar título (ninguém diria que tem 30 anos com a facilidade que se move no court)
Por último, Maria sharapova tem feito recuperações incriveis nos seus jogos, ela tem uma grande potência nas pancadas. Hoje vi o jogo dela e teve um 1º set fenomenal, o segundo apesar do 6-2 já foi muito mais equilibrado.
Aposto numa final: Schiavone-Sharapova, e espero que com com uma vitória da Sharapova


De Steve Grácio a 2 de Junho de 2011 às 19:08
caro Cláudio, antes de mais obrigado por comentares.
No entanto, nao concordo que a passagem de Li à final sejauma surpresa, ela é das melhores jogadoras.
quanto à competitividade, concordo em parte. Se é certo que os favoritos cairem é sinal de competitividade, por outro julgo que isso revela que as melhores tenistas nao são assim tão boas. Tirando Clujters que é de outro mundo, nenhuma jogadora se destaca. A Woz, para mim, nao passa de uma jogadora mediana e nao é pela pressão que sente que nao vence.
mais uma vez obrigado e continua a seguir este blog :)


De Cláudio a 3 de Junho de 2011 às 00:04
Enfim, a minha previsão não para a final não se concretizou, mas a Sharapova não passou à final por culpa própria e também porque a Na Li esteve ao seu melhor nível e provou que esta é a sua melhor época de sempre com duas finais nas provas máximas do ténis esta época.
Eu gosto bastante da Clijters e tive muita pena por não ter conseguido ido ir mais longe. Enfim..
A wozniacki precisa de melhorar muito se quer se tornar numa jogadora temível.
Não sei em quem apostar para a vitória. No entanto, gostava que ganhasse a Na Li, apesar de apreciar as duas.
Continuarei a seguir sim! Continuação dum bom trabalho!


De Steve Grácio a 3 de Junho de 2011 às 00:22
e para amanhã, qual é a previsão? só sei que nao sairei do sofá grande parte do dia :)


De Sarah Saint-Maxent a 3 de Junho de 2011 às 16:25
final nadal - federer, steve. não te parece?


De Steve Grácio a 3 de Junho de 2011 às 19:02
sem dúvida, que jogo de Federer! a jogar assim ninguem o vence. é o melhor quando está bem. resta saber se o fardo mental de derrotas com nadal o võ trair na final. No entanto, grande jogo em perspectiva!


De Sarah Saint-Maxent a 3 de Junho de 2011 às 19:58
domingo coladinha à tv, é o que é...


De Sarah Saint-Maxent a 3 de Junho de 2011 às 21:25
somos bons, pá, somos bons...


De João Perfeito a 4 de Junho de 2011 às 00:53
Penso que este duelo Federer- Nadal é mais um... Mas o mais interessante é que é sempre mais um... Parece que cada final é especial e é jogada a um nível físico, mental, técico, táctico como se fosse a maximização destes dois fantásticos jogadores. E um mês depois, dois meses depois temos mais uma grande final. São jogos que espelham bem o que deve ser o desporto principalmente a nível emocional. Nos duelos CR7 vs Messi é raro ver os dois brilhar. Nos duelos Bolt-Tyson gay igual. Bekele contra EL Gueroouj nos 5000 nos Jogos olímpicos de Atenas. Os duelos Le Brom James vs Kobe Bryant já se aproximam. Mas nada mesmo nada bate um Federer- Nadal. Jogo após jogo, após ano, após Grand Slam. Qualidade, emotividade e intensidade como se fosse o último jogo das suas vidas. No fundo este é o melhor e maior duelo titânico do desporto actual. Um duelo que já me fez chegar ás 13.45 a um restaurante almoçar e sair de lá às 21.30 depois de jantar, com chuva pelo meio a ver 5 sets em Wimbledon. Simplesmente fantástico. Não vou ser hipócrita e não vou desejar que vença o melhor. Desejo sempre que vença Nadal porque me identifico com a sua forma de jogar mas fundamentalmente de ser... Mas ganhe quem ganhe espectáculo está garantido.


De Steve Grácio a 4 de Junho de 2011 às 01:53
bem domingo vai ser outro jogão...mas temo pela força do psicológico contra Federer, assim como a força de Nadal na terra batida.
No entanto, com o nível de hoje Federer bate qualquer um.
que grande jogo que foi hoje, nao acham? dos melhores que me lembro.
vejam bem, tinha um compromisso às oito e meia, cheguei perto das dez por causa do jogo eheh


Comentar post