1 a zero:
De João Perfeito a 28 de Maio de 2011 às 18:06
O grande problema do Benfica é que vive excessivamente de promessas. Nuno Coelho, Matic, Danilo, Nolito, Urreta, Bruno César, Rodrigo Mora, Nélson Oliveira, David Simão e Miguel Rosa. EStão aqui 10 jogadores e alguns deles certamente em caso de saídas de jogadores nucleares ascenderam a titulares. Uma equipa salvo raras excepções não pode planear a sua época com base no mercado sul-americano e em jogadores que atravessam o atlântico com o rótulo de titulares indiscutíveis. Depois acho estranho falar-se em Nolito como craque quando tem 24 anos...

Este Benfica embrionário de 2011/2012 não deixa muita esperança. A pre-época ainda não começou por isso talvez o embrião possa dar uma criança saudável. Mas deixo as minhas reticências... Parece-me que o Benfica infelizmente volta aos campos das especulações, das equipas maravilhas, em jogadores bons de bola e esquece o primordial: coesão, estrutura e dinâmica.

O plantel do Benfica é mais que suficiente para ser campeão caso o Porto perca as suas pedras nucleares, caso contrário pouco haverá a fazer. Mas o Benfica prefere apostar no incerto do que em manter as certezas.

Cardozo não pode sair pela sua relação com os adeptos... Isto é inconcebível num clube que quer vencer. Os jogadores não podem sair pela pressão que estão sujeitos. O mal do Benfica é pensar que os culpados são Roberto e Cardozo, quando toda uma estrutura táctica tem os seus pontos débeis. No banco temos um bom treinador, mas que jamais será excelente que alia ainda o seu lado humano absolutamente deplorável. Assim é difícil construir consistência de vitória.

No Porto existe toda uma máquina em que os adeptos apreciam o produto invicto a creditando na estrutura. Por isso Sapunaru e Guarín não forma assobiados quando a bem pouco tempo um deles foi a depilação da época e outro jogava na Liga Intercalar. Porque os adeptos respeitam a cultura do clube. No Benfica a massa associativa vai mais ao estádio para fugir à mediocridade da sua vida e soltar as suas angústias do que para ver e apreciar futebol. Por isso esta a massa adepta tal como no Sporting está a destruir o próprio clube.

O Porto traz menos adeptos ao Estádio do Benfica, mas a sua relação é melhor com o clube.

No Benfica ainda se vive na mentalidade dos dirigentes se rebaixarem à massa associativa com a ideia romântica que foi ela que fez do clube o clube mais conhecido de Portugal.

É por viver no passado e não perspectivar o futuro que os dirigentes não mudam a forma de comunicar com os adeptos. Referindo que eles são essenciais só pela sua presença e não pelo seu contributo. Neste jogadores como Cardozo não tem o mínimo interesse em jogar no Benfica. Depois de terem feito história e continuarem a ser apupados. Tem milhões à espera do outro lado da europa e um povo que aprecia as suas características e filosofia de jogo. Mas mais uma vez o Benfica privilegia o espectáculo e não a eficácia. Quer vender Cardozo. Mas quem contratará? É assim tão fácil encontrar um avançado que marque 100 golos em 4 anos? Que marque 38 golos num ano? Parece que se fala nisso como se fosse a coisa mais fácil no Mundo. Para a capacidade económica que o Benfica tem, fruto duma má gestão alienada aos valores que já explicitei não me parece que o clube tenha condições apra arranjar um substituto mais eficaz. Assim penso que sem Cardozo passará mais 20 anos à procura dum matador e quando o encontrar talvez pelo estilo de jogo voltará a ser dispensado e o Porto sorri e ganha sem já ser preciso que o Pinto da Costa faça alguma coisa. Porque é fácil de mais...


Comentar post