1 a zero:
De João Perfeito a 27 de Maio de 2011 às 17:21
Eu não vejo jogar o Carlos Teixeira à uns bons anos. Tenho alguma nostalgia dos tempos auréus da selecção na liga Mundial mas sobretudo do Mundial de 2002. Não quero ser demasaido optimista mas penso que o que faltou sempre a Portugal foi crença de vitória. Não esqueçerei a vitória categórica sobre o Brasil 3-0 em Almada aqui á uns anos. O brasil com Giba, André Heller, Rodrigão, Sérgio eoutros grandes jogadores que não em lembro fruto de já não acompanhar voleibiol internacional desde 2008.

Recordo-me também de exibições fantásticas de Nuno Pinheiro e da qualidade de João José. Que salvo erro já venceu a liga dos campeões de voleibol ao serviço dum clube alemão. O hugo gaspar era sinónimo de pontos e o Carlos Teixeira em dia sim era intrasnponível.

Os jogos contra a Itália penso que reflectem a falta de crença da selecção. Estar empatado 17-17 ou a ganhar 18-17 e depois vinha-se completamente abaixo. Os jogadores não acreditavam que podiam ser melhores.

A Polónia lutava de igual para igual com Porto hoje subiu ao topo Mundial.

Penso que o caso do voleibol é diferente do basquetebol ou andebol. A qualidade está lá, falta é estimular... Acho que não somos assim tão diferentes das grandes potências. Porque o que perdemos em altura ganhamos em velocidade.


De Anónimo a 27 de Maio de 2011 às 17:23
Rectificação:

Portugal e não Porto

O hábito de comentar futebol.

Lol


Comentar post