Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

14
Mai11

A Guerra das Rosas

Pedro Salvador

 

O início do fim

 

 

 

 

 

 

               Ontem tive o prazer de me deslocar ao Dragão Caixa para ver o primeiro jogo das finais da Liga Portuguesa de Basquetebol, em que o Porto derrotou o Benfica por uns assombrosos 95 – 69. E, para além de sair do pavilhão com os tímpanos a tremer devido à atmosfera ensurdecedora no interior do recinto, devo ainda dizer que saí com uma sombra de dúvida acerca do meu conhecimento da equipa do Benfica em termos basquetebolísticos. É que eu pensava, até ontem à noite que o Benfica era Bicampeão Nacional, e ontem jogaram ao nível de uma equipa de meio de tabela, pelo que fiquei extremamente confuso.

               Os jogadores estavam completamente apáticos, as jogadas não saíam, os lançamentos eram horrivelmente selecionados, para não mencionar que pouco se fez no banco para alterar a mudança dos acontecimentos. Uma destas coisas pode acontecer às vezes a um candidato ao título, mas não todas em simultâneo, e muito menos contra o outro candidato ao título. Aliás, o Benfica ainda agora não deve saber o que é que o atingiu ontem no Dragão.

               Moncho Lopez, treinador dos azuis e brancos, disse ontem no final do jogo: "É bonito ganhar assim, mas o mais bonito é vencer no final. A diferença não tem valor para o 2.º jogo. Não ganha o campeonato quem marca mais, mas temos de estar satisfeitos porque estamos na frente, a vencer por 1-0". Eu, na minha modesta opinião de espectador, não estou de acordo.

               Em termos de classificação, o Porto ganhou ontem, adiantou-se na eliminatória, que ficou 1 – 0. Ponto. Mas em termos reais, o jogo de ontem deixou uma cicatriz de 26 pontos no Benfica que ninguém sabe se vai ser curada até ao jogo de amanhã, agravada ainda por uma má qualidade de jogo por parte dos benfiquistas desde o início das meias finais. O Benfica vence mas não convence, e agora encontrou pela frente uma equipa que vence e convence. Como resultado, creio que ontem só Greg Jenkins e, em certas alturas, Ben Reed e Sérgio Ramos jogaram bem pelo Benfica. De resto, foi um vazio de ideias na área ofensiva.

               O jogo de ontem trará uma de duas respostas por parte do Benfica para o próximo jogo: ou o Benfica se concentra e começa a jogar como equipa, de modo a apagar a má imagem deixada no primeiro jogo, ou então será outro jogo desigual, e o título (muito) mais próximo da cidade do Porto pela primeira vez desde o início da LPB.

               Pelo bem do basquetebol nacional, francamente espero que o Benfica se recomponha. Sei que o talento está lá, a experiência também, só faltam os resultados. Foi difícil ver os encarnados ontem com a equipa titular completa a jogar de forma equilibrada com Pedro Catarino, João Soares ou Diogo Correia na parte final do jogo, jogadores que, apesar de serem altamente talentosos e promissores, são ainda jovens e ainda não atingiram o pico do seu jogo.

               Esperemos que haja equilíbrio nos restantes encontros, e que se vejam excelentes jogos de basquetebol.

               Ainda a título informativo, as meias finais da Proliga perspectivam-se interessantes, e prestes a carimbar a subida para o escalão principal do basquetebol português, estão já o Terceira Basket e o Barcelos. Resta saber é quem é que vai ser o campeão...