Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

02
Mai11

Bloco Triplo

Sarah Saint-Maxent

David vence Golias

 

                O monopólio nortenho no voleibol português há muito que deixou de existir. O AJ Fonte do Bastardo fez questão de reforçar esta máxima e mostrar que não só no Norte se joga bom voleibol. Fez história e, merecidamente, inscreveu o seu nome na restrita lista de equipas vencedoras do campeonato A1.

                Na primeira final do campeonato após a reformulação do sistema de prova, o conjunto insular foi mais forte e derrotou o SL Benfica nos dois jogos. Realizou exibições de bom nível, esteve consistente e, acima de tudo, conseguiu as preciosas vitórias que encaminharam “o caneco” para as ilhas.

                Neste último fim-de-semana, diante dos seus adeptos, os açorianos repetiram o resultado da 1º mão e vergaram os encarnados com mais um contundente 3-1.

                Sabia-se, de antemão, que seria um bom jogo. Da parte do Benfica, era o jogo do tudo ou nada. Sendo a eliminatória à melhor de três jogos e com uma derrota no primeiro jogo, os da capital não tinham margem de erro. Para continuar na luta pelo título, sabiam que teriam de ganhar, entrar fortes e forçar um terceiro jogo na capital. Pelo contrário, o Fonte do Bastardo sabia que o título andava por perto. Poderiam, em caso de vitória, sagrar-se campeões nacionais diante do seu público.

                O jogo iniciou-se com a equipa visitante a correr atrás do prejuízo. Entraram na máxima força e não deram hipóteses aos locais. Com um expressivo 16-25 fecharam o primeiro set e, assim, começavam a árdua tarefa de encurtar a vantagem da Fonte do Bastardo no playoff. No entanto, a qualidade da equipa insular e a experiência do Prof. Alexandre Afonso viraram o rumo dos acontecimentos. Com vitórias nos outros três sets, sentenciaram o jogo e mostraram ao país a qualidade do jogo praticado nos Açores. Os antigos campeões nacionais estavam derrotados e o público aclamava agora a nova sensação do voleibol português.

                Este título é o espelho de uma transformação no panorama voleibolístico nacional. O desinvestimento e instabilidade dentro dos clubes que outrora foram de primeira linha abriram espaços para o aparecimento de novas potências. O Fonte do Bastardo fez uso desse mesmo espaço para se fixar na primeira linha. Realizou um investimento forte, cimentou um plantel dotado tecnicamente na vasta experiência de nomes como Manuel Silva e Eurico Peixoto e cresceu, fruto de um excelente trabalho de Alexandre Afonso, treinador contratado para a época que agora termina. É uma pessoa de créditos firmados. Depois da Taça ao serviço do Castêlo, roubou o título aos benfiquistas.

Espera-se que o Bastardo consiga manter a qualidade apresentada esta época. Têm um projecto ambicioso e consiste, capaz de se aguentar nos próximos tempo. Têm uma filosofia de um jogo vistoso e com qualidade. São um clube com mentalidade vencedora e, acima de tudo, que tem portugueses na espinha dorsal. Uma conjugação de factores que cada vez menos se encontra em Portugal. É importante, a bem do voleibol nacional, que esta estrutura não desapareça.

                Mesmo que não mantenham o título, certamente não desaparecerão do topo da tabela. Porque quem sabe, nunca esquece.

 

by Ricardo Norton

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.