Terça-feira, 26 de Abril de 2011
Steve Field

O peso da força

 

          João Tomás tem sido tema de análise nos últimos tempos por, injustamente, não ser opção não selecção. Muitos dizem que se encontra fora das opções por ter 35 anos. Outros dizem que é por ser do Rio Ave. Cá para mim é mesmo pelo BI. No futebol dos nossos dias, com excepção do campeonato Italiano, o BI conta muitos para os clubes, como se a qualidade se medisse pela idade de um jogador…

No entanto, do que poucos falam é dos que têm a infelicidade (será mesmo infelicidade?) de não ter uma estatura elevada e que por isso têm mais dificuldade em singrar. Quantos futebolistas não são excluídos por serem pequenos?

          Bem, esta resposta tem inúmeros exemplos que a comprovem. Tal como há muitos exemplos de jogadores que superam o seu físico e se tornam grandes jogadores. O melhor do mundo, Messi, até problemas de crescimento teve e tornou-se no mega jogador que é…Moutinho é actualmente o motor da grande equipa portista e é baixo...Ricardo Carvalho, não sendo propriamente um jogador baixo (1,83m) é considerado baixo para um central e no entanto é dos melhores centrais do mundo.

          A minha pergunta é: porquê considerar o físico um atributo para um futebolista?

          Vejamos o caso dos três artilheiros que iniciaram a época nos principais clubes portugueses: Cardozo – 1,93m, Falcão – 1,75m, Liedson – 1,75m.  Qual é o pior cabeceador dos três? O mais alto. Qual é o pior jogador dos três? O mais alto. Qual o que consegue menos segurar os centrais jogando de costas fazendo uso do corpo-a-corpo? Cardozo, o mais alto e mais forte. Curioso? Talvez não.

          Ainda no último Porto – Sporting, Falcão bem mais baixo que Torsigleri, chegou mais alto que este. Pelo físico seria impossível, mas consegui-o mais que uma vez. O timing de salto não se mede pelo físico. A impulsão não se mede pelo físico.

          Ou seja, aparentemente Torsigleri e Cardozo são os mais altos. No relvado, são mais baixos que Falcão ou Liedson. O futebol joga-se no relvado, não em centímetros. O poder da força não é superior ao poder do talento. Mudem as mentalidades, para bem do futebol.

 



publicado por Steve Grácio às 01:08
editado por Jorge Sousa às 14:24
link do post | comentar

1 a zero:
De João Perfeito a 26 de Abril de 2011 às 12:39
Concordo com a perspectiva de o João Tomás ser chamado à selecção.

Na verdade João Tomás já somou pelo menos 5 vezes 15 golos na Liga. Aliás ele deveria ter sido chamado também noutras ocasiões. Acho piada aquelas pessoas em que os jogadores só tem 6 anos de carreira. Aos 23 são novos e aos 31 são velhos. Pois bem já vi o Fabregas jogar com 17 a alto nível, tal como o Maldini aos 40. Não me venham com coisas, o Rui Costa aos 36 anos jogava sem limitações... Por isso se os jogadores tiverem uma boa alimentação e boa preparação podem jogar perfeitamente até aos 37/38. Na selecção devem jogar os melhores e se João Tomás não joga porque é velho então Nélson Oliveira ou Orlando Sá já deveriam ter sido chamados e não foram.


Agora não penso que Liedson e Falcão sejam melhores que Cardozo tão indubitavelmente como afirmas.
E na verdade Cardozo na época transacta teve entre os 10 pontas-de-lança do Mundo que marcaram mais golos de cabeça. Este ano Salvio e Gaitán são mais individualistas que Di Maria e Ramires e até o próprio Coentrão tem movimentos mais interiores.
A questão de segurar para mim é também uma fase oculta de Cardozo. Porque pode não recuperar muitas bolas, mas tem uma movimentação interessante sem bola. Veja-se o excelente jogo que fez contra a Espanha impedindo as transicções de dois dos melhores centrais do Mundo- Piqué e Puyol. No jogo da Taça no Dragão sózinho deu cabo do trabalho a Maicon e Rolando. O que se passa é que Cardozo tem graves problemas de confiança e por isso está a realizar uma má época para a sua qualidade. Por isso é dos poucos jogadores que com 19 golos é assobiado.

Outro dado interessante é o facto de Cardozo ser o 3º avançado da Liga com mais assitências por minuto utilizado.

Por exemplo Falcão só tem uma.

Por isso noutras perspectiva acho que o futebol se joga no relvado. E por isso um golo é um golo. Independentemente do seu carácter artístico. Ver Falcão é mais entusiasmante porque os seus golos metem movimentação, com Cardozo a movimentação é feita antes da bola chegar lá e depois é só encostar... de baliza aberta. Por isso como escrevi numa das minhas crónicas os golos de Cardozo são úteis mesmo que raramente sejam belos.

Por isso ele é o melhor marcador estrangeiro da história do clube e nunca marca menos de 20 golos por ano. Mas se um jogador marca 38 golos num ano e é apupado, não há nada a fazer. São ideias pre-concebidas e mais uma questão de estilo do que de futebol.

Mas na realidade ao muito me engano ou caso Cardozo saía ficará durante muitos anos sem sucessor estrangeiro à vista.

Quando sair será matador e aí admirado.


De Steve Grácio a 26 de Abril de 2011 às 13:09
concordo com a parte do cardozo ter 'anulado' pique e puyol. De facto, esse é um ponto forte dele.
agora com o resto que disseste, como já te disse, nao concordo nem um pouco...a quantidade de golos que falha é bem superior aos que marca e um ponta-de-lança tem de ter eficácia, coisa que nao falta ao falcão.


De João Perfeito a 26 de Abril de 2011 às 14:03
Pessoalmente não concordo com essa perspectiva porque acho que neste caso os falhanços diferem comparando com os guarda-redes. Num guarda-redes uma falha resulta dum erro. Num avançado uma falha resulta sempre dum duelo ganho com um defesa. Não se consegue rematar sem ganhar duelos. Falcão fez dois falhanços escandalosos contra Benfica e Sporting este ano e não deixaram de ser grandes movimentos. Depois se falha mais do que marca. Então se marcasse quase sempre- o ano passado marcaria 65/70 golos? Como é que um avançado consegue criar 65/70 oportunidades para marcar num ano. Se isso efectivamente fosse verdade e tivesse essas 65/70 oportunidades certamente que não continuaria no Benfica.


De Steve Grácio a 26 de Abril de 2011 às 19:21
nao exageremos...o que quero dizer é que analisar a qualidade de um avançado pelas estatísticas - golos - é pouco. Temos de ver a dinâmica avassaladora ofensiva que o benfica tinha na época passada, que só favorecia os avançados. agora, na minha opinião, um avançado vale mais do que pelos golos, sobretudo os golos de cardozo, um avançado com a dinâmica da equipa da época transacta tem de ter mais eficácia! tem de criar pânico às defensivas (como defesa adorava apanhar postes como cardozo). o ano passado, falcão ou liedson no benfica eram botas de ouro...Liedson, numa equipa frágil como era a da época transacta do sporting e a deste ano, marcava prarticamente a cada ocasião. isso sim, é de avançado! já para nem falar das dores de cabeça que dava...
no entanto, respeito o que dizes, claro. mas espero ter sido perceptivel.


Comentar post

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010