Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

08
Dez10

Buzzer - Beater

Minuto Zero
Lockout

         Já tinha saudades de falar de economia e basquetebol em conjunto, e portanto vou voltar a fazê-lo. A questão que esta semana me causa especial preocupação já está no ar há vários meses, mas tem andado algo latente e não se fala nela senão esporadicamente. Como fã incansável de basquetebol, creio que todos os que se identifiquem com essa condição deviam prestar atenção ao tema. Estou a falar da possibilidade de lockout da NBA no final da época 2010-2011.
         Já aconteceu em 1998: as regras dos salários pagos pelos proprietários das equipas viram os seus prazos expirar e um forte duelo entre estes e jogadores prolongou-se até Fevereiro de 1999, tendo gerado uma paragem da época 1998-1999 até essa data.
Fonte: theonion.com
         Como já referi num outro post, as equipas da NBA (mais conhecidas por “franchises”) são tuteladas por um ou mais proprietários que exploram todo o negócio à volta da equipa, financiando-a e tomando parte nos lucros que ela gera (bilhetes, direitos televisivos, publicidade, merchandising, etc). Uma parte da gestão passa obviamente pelos astronómicos salários dos jogadores. De um modo grosseiro, estes salários estão escalonados entre rookie, minimum, mid-level exception e maximum (de notar que o valor do contrato de um rookie não é necessariamente mais baixo que o minimum, apenas é mais rígido nos anos de contracto salvo erro).
         Ora, acontece que nesta época acaba o acordo em que ambas as partes chegaram no fim do último lockout. O base dos Lakers, Derek Fisher, representa o sindicado dos jogadores e afirma que é muito possível a existência de um novo lockout, caso as negociações não se resolvam até ao fim do verão.
         Este assunto é sempre muito delicado. Ainda para mais em tempos de crise. Tanto quanto sei o principal problema é a falta de liquidez ou de lucro significativo de receitas em algumas equipas para pagar enormes salários de jogadores. Nalgumas, como os Orlando Magic, há lucros que baixam devido a grandes salários desproporcionados (Rashard Lewis, cof cof), noutras, como nos Sacramento Kings, há uma base de fãs pouco significativa que não faz casa cheia muitas vezes (apesar de eles terem o melhor rookie, Tyreke Evans, do ano passado). Então os donos propõem limites salariais neste novo acordo, bem como menos garantias de estabilidade contratual aos atletas. Estes últimos obviamente não estão de acordo, e já foram avisados para fazerem poupanças dos seus vencimentos esta época (o que vá, não seria assim tão complicado não é?)
         Portanto, com a eventualidade de os proprietários congelarem os contratos dos jogadores e pararem a actividade até se chegar a um novo acordo, fãs como eu e muitos de vocês podem não começar a ver o basquetebol mais espectacular do mundo a meados de Outubro, como todos os anos acontece. Creio que é motivo de preocupação geral.
         Para os destaques desta semana, decidi apenas esta vez não os marcar como positivos ou negativos, visto que tive alguma dificuldade. O primeiro destaque vai para a entrada de Lebron James no jogo de quinta-feira passada dos Miami Heat contra os Cleveland Cavaliers, a sua antiga equipa. Vejam neste vídeo a música de fundo que acompanha a entrada deste jogador, bem como o tom cavernoso com que é anunciado. Isto à primeira vista seria um destaque negativo, mas achei tão hilariante que deixarei ao critério de todos. Como segundo destaque escolhi a compra dos New Orleans Hornets pela própria NBA. A compra deu-se na sequência de o antigo dono não conseguir suportar a equipa (que desde o furacão Katrina não é das mais lucrativas do campeonato, apesar do sucesso relativo que tem tido desde então) e o potencial comprador desejar mover a equipa para outra cidade. A NBA comprou então a equipa de forma a segurá-la até que um novo comprador surja sem intenções de a mover. A minha dúvida surge então: é isto mais positivo pelo facto de se estar a fazer um esforço pela comunidade de Nova Orleães e pela equipa, ou negativo por se estar a utilizar dinheiro da liga para assuntos que normalmente são tratados por investidores?

Nota: não pretendo com a imagem ser faccioso nalguma posição do lockout, mas sim destacar o seu alto teor humorístico
 
by Óscar Morgado

1 comentário

Comentar post