Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

12
Nov10

Voleibol à Sexta

Minuto Zero
Hoje é dia de falar de pontuação
Confesso, isto hoje estava difícil. Durante o fim-de-semana (de jornada dupla), nada de muito surpreendente. Teria que ser destacada, no entanto, a primeira derrota do Castêlo da Maia – até aí, a única equipa invicta na divisão principal do campeonato nacional. Essa derrota, aliás, é o motivo desta crónica.
Depois deste resultado, alguém me perguntou: como é possível que o Castêlo estar em quarto lugar, com 15 pontos, se foi a única equipa com apenas uma derrota, enquanto o SC Espinho está em primeiro com 19 pontos? A explicação é bastante simples e prende-se com o novo sistema de pontuação, adoptado esta época: uma vitória por 3-0 ou 3-1 vale 3 pontos, por 3-2 vale 2 pontos e uma derrota por 2-3 vale um ponto.
Vou então, porque é para isso que me «pagam», opinar sobre o assunto. Para mim, faz todo o sentido esta mudança – relembro que no anterior sistema, uma vitória dava 2 pontos e uma derrota 1 ponto – já que não é o mesmo perder-se por 3-0 ou por 3-2, assim como não é o mesmo vencer por essas margens.
Explico o meu ponto de vista pelo do derrotado: um jogo muitíssimo equilibrado, com uma derrota na negra pela margem mínima (imaginemos uma situação em que o resultado final é 25-27, 26-24, 23-25, 25-23 e 16-18) valer o mesmo que uma derrota evidente por 0-3 parece-me injusto. Até porque – não quero azarar ninguém, mas acontece – erros de arbitragem podem dar os dois pontos de vantagem necessários para se ganhar um set. Considero este novo sistema muito mais justo por isso, permitindo a um derrotado forte, vencido por pouco, ter vantagem sobre uma formação que se apresenta muito abaixo do seu adversário. Da mesma forma, não dá uma vantagem injusta a equipas que vencem jogos demasiado equilibrados, que podiam cair para um lado ou para outro.
Em contrapartida, o sistema tem fragilidades, como a que aqui surge: é possível que uma equipa sem derrotas não esteja no topo da classificação porque tem várias vitórias pela margem mínima e os seus adversários têm vitórias claras e derrotas em jogos equilibrados.
É, portanto, difícil julgar já. À partida, este sistema apresenta-se com vantagens que considero interessantes para a competição, mas ainda não temos uma visão do que serão os resultados finais. Parece-me um bom tópico para voltar a abordar depois do final do campeonato, quando tivermos uma percepção das consequências reais desta nova pontuação.

by Sarah Pires Saint-Maxent

2 comentários

Comentar post