Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

19
Nov10

Voleibol à Sexta

Minuto Zero
Homenagem “Cem Desportistas, Cem Anos da República”

Foi com enorme prazer que vi, na terça-feira passada, na lista de desportistas homenageados, dois gigantes do voleibol português. Não os únicos merecedores da distinção mas são, sem dúvida, dois dos atletas que mais contribuíram para a visibilidade do voleibol nacional no estrangeiro. Falo de Miguel Maia e João Brenha, a “eterna” dupla do voleibol de praia português – ainda que o distribuidor do SC Espinho alinhe agora com Pedro Rosas nas competições.
Confesso que tive curiosidade em ver a lista toda: dois jogadores de voleibol num mundo de desportistas ligados ao Atletismo e Ciclismo (as duas áreas com mais expressão) fazem bem à alma e resultam em mais um passinho a favor da promoção de modalidades esquecidas pela maioria dos portugueses.
No entanto, na verdade, não faz grande coisa pela divulgação de outros grandes atletas nacionais junto dos portugueses – porque, no estrangeiro, são conhecidos. Toda a gente, ou a maioria das pessoas, já ouviu falar de Miguel Maia. E muitas também já ouviram falar de João Brenha. Mas quantas pessoas reconhecem o nome de João José, Nuno Pinheiro ou Carlos Teixeira?
Esta homenagem é, sem dúvida, de louvar: mas não podem ser lembrados atletas apenas nos centenários da República; no quotidiano, devia ser mais fácil ao público, em geral, “saber de voleibol”. Para isso, é necessário mais espaço nos jornais, desportivos e não só, é preciso que as televisões dêem atenção ao que se passa com a modalidade e é preciso uma maior divulgação, por parte da Federação Portuguesa de Voleibol e das várias Associações Regionais, das suas actividades.
É necessário também, como já aqui disse, uma divulgação junto das escolas e daqueles que serão os futuros jogadores. E, fundamentalmente, é necessário que as pessoas, em geral, estejam abertas a uma maior divulgação das “modalidades” e peçam, elas mesmas, mais informação. Estas iniciativas públicas servem apenas como formalidades pontuais e é no dia-a-dia que se constrói o crescer do voleibol.
Para terminar, não posso deixar de dizer que quando aqui refiro voleibol português, é apenas para pegar no particular para chegar ao geral. O que isso quer dizer é que não nos deve chegar só informação de clubes e atletas portugueses, mas também o que diz respeito ao voleibol mundial e de diferentes países: foi com enorme satisfação que vi um jogo da liga italiana (Monza vs. Roma, se não estou em erro) a ser transmitido na Eurosport, com comentários em português; já não fiquei tão contente quando tive que fazer uma enorme ginástica para conseguir assistir, no domingo passado, à final do Campeonato do Mundo de Voleibol Feminino, entre a Rússia e o Brasil (resultado final, 3-2).

by Sarah Pires Saint-Maxent

1 comentário

Comentar post