Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

07
Out10

Steve Field

Minuto Zero
                          Tecnologias no Futebol

Hoje em dia, qualquer resultado negativo é justificado pela má prestação da equipa de arbitragem, algo que na minha óptica só serve para aliviar pressão, já que os árbitros raramente têm influência num resultado. Em vez de se discutir futebol, o que realmente interessa, discute-se cada vez mais se o árbitro esteve bem, se teve influência no resultado, etc.

Porém, este facto não se deve apenas às pessoas tendenciosas que pretendem justificar os maus resultados do seu clube. Para mim, grande parte deste problema deve-se aos meios de comunicação e aos canais televisivos que emitem os jogos. Se em vez de existir programas televisivos com grande percentagem de minutos da emissão destinados a analisar os casos de um jogo (como na TVI) ou se não houvesse tanta repetição dos lances passíveis de gerar discussão, como acontece em Itália, por exemplo, talvez não se tinha gerado este vício tão lamentável.

Apesar de julgar que errar é humano e, como tal, os árbitros, tal como os jogadores ou os treinadores, também podem errar, sou a favor que se atenue esses erros que acredito, ou quero acreditar, que sejam involuntários. Como? Através da implementação de auxílios para os árbitros. Esses auxílios podem passar por diversos meios: para mim, dos que se têm vindo a discutir, há uns que se podiam adequar, tais como a implementação de chips nas bolas (desde que não prejudique a sua qualidade) para saber quando estas ultrapassam a linha de baliza ou o aumento do número de árbitros, desde que atenuem os erros, o que não se tem vindo a verificar.

Quanto ao vídeo, sistema bastante discutido e que é utilizado noutros desportos, como no ténis através do Olho de Falcão, julgo que não se adequa ao futebol, que não é (ou não deve ser) um desporto de paragens. Ao utilizar-se o vídeo o jogo pára constantemente pois teria de se analisar cada fora de jogo ou cada falta importante. Poderia utilizar-se sim, mas em casos onde a bola sai fora para não travar um possível ataque adversário e desde que não se interrompesse o jogo por muitos segundos, cabendo ao quarto árbitro a visualização.

Em suma, digo sim às tecnologias desde que melhorem e não prejudiquem o futebol e o espectáculo, aumentem a verdade desportiva e reduzam a mania dos fanáticos em culpar o árbitro por tudo. No entanto julgo que se a preocupação fosse apenas o futebol jogado, este tema não teria tanta importância, daí o facto de achar que a maior preocupação deve ser a de incutir princípios à sociedade e não de tentar contornar os seus vícios.