1 a zero:
De Óscar Morgado a 25 de Março de 2011 às 12:59
Mesmo assim acho que o trade-off lesões/condição física justifica o esforço. E há que submeter-nos ao bom senso. Quanto ao caso do futebol, duas razões penso que explicam a incidência de lesões por jogo: uma meramente matemática, por mais jogadores jogarem em simultâneo, e durante mais tempo sem pausas, e a segunda pela leviandade das regras quanto às faltas duras, cargas, etc.


De joaoperfeito a 25 de Março de 2011 às 15:54
Tudo o que é demais faz mal. Trabalhar demais desgasta o corpo, stress demais trás problemas cerebrais, estudar demais trás problemas psicológicos. Porque razão fazer desporto demais não traz nenhum problema? Em tudo o que fazemos na nossa vida e empenhamo-nos a sério temos sempre uma consequência negativa. Até na alimentação devemos ser equilibrados como quando nos ensinam quando somos pequenos. Todo o sucesso tem uma parte de sacrifício. Eu que corro todos os dias e nem de perto nem de longe faço alta competição também tenho dores 2/3 vezes por semana. Dantes quando fazia só manutenção, não doia nada, porque não forçava o músculo. Portanto se até os mero praticantes como eu tem dores os atletas profissionais nem quero imaginar. E como alguém diz "É preciso ter muita saúde para dar cabo dela". São opções de vida, mas sem sacrifício não há vitórias.


Comentar post