Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

10
Fev11

O momento do Leão

Minuto Zero
Em Lisboa, o grande de Alvalade, passa por dias difíceis: aos problemas financeiros do clube soma-se uma crise de resultados desportivos, cimentada num clima de tensão clube-massa associativa, que está a ter amplos reflexos no balneário. Por mais que Paulo Sérgio se esforce, a redoma de vidro na qual tenta, e bem, envolver os seus pupilos não é inviolável.
Com um plantel com algum défice de qualidade, pelo menos para um clube que tem como objectivo ombrear na luta pelo título com Benfica e Porto, os leões tem cada vez mais plena consciência de que com este modelo de gestão e modelo de construção de plantel o clube estará sempre sujeito a crises cíclicas, económicas e desportivas. Não que os outros clubes na sua generalidade não estejam também a estas crises sujeitos, mas porque quanto maiores os investimentos e os objectivos, maior o risco.
Olhando para a constituição do plantel, os leões perdem na ultima época dois jogadores de grande qualidade: Veloso, que apesar de alguma instabilidade exibicional era claramente um jogador acima da média, e sobretudo João Moutinho, que para além de capitão de equipa e evidente figura demonstrativa do carácter que o clube pretende deixar transparecer para o seus publico, era sem duvida o jogador que melhor garantia os equilíbrios na zona de meio-campo. Ficou a ganhar o directo rival Porto, mas também, pelo menos desportivamente, o próprio Moutinho que parece ter encontrado a sua “casa táctica” ideal no 3 (1x2) do meio-campo azul e branco.
fonte: olé olé
Em comum, Moutinho e Veloso tem o facto de serem fruto da formação do clube. Hoje, restam Daniel Carriço, Rui Patrício (ambos serão sem dúvida jogadores para valorizar no mercado europeu nos próximos tempos) André Santos (boa promessa de médio para o futebol português), Carlos Saleiro, Djaló e o ainda desconhecido Cedric.
 Curioso entre estes nomes não poder ser encontrado nenhum extremo, posição para a qual o futebol do Sporting “inventou” nos últimos anos jogadores como Figo ou Ronaldo, passando claro por Nani … e não esquecendo jogadores como Marinho (Naval) ou Paulo Sérgio (Olhanense) em destaque na liga, mas que tiveram de “correr por fora” para chegar ao nível a que estão.
Desengane-se o leitor que pensar que estou a apregoar uma crise na “fabrica de talentos de Alvalade”, mas a verdade é que vale a pena meditar sobre o tipo de jogador que tem saído da academia. Talvés seja tempo de uma reestruturação começada pelas bases de formação.
Depois existem os “estranhos” casos de Izmailov, Vukcevic, Caneira, jogadores cujas situações no clube parecem demasiado desgastadas para que o bom redeminto seja garantido, e no caso do portugues e do russo esse redemimento nem sequer existe pare que possamos avalia-lo…
Em Janeiro, a saída de Liedson e entrada de Cristiano colocam a equipa entre uma nova questão táctica (4x4x2 ou um desenho até agora pouco utilizado de 4x3x3) mas sobretudo são sinais óbvios de que é urgente a mudança…

by Tiago Luís Santos