Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

13
Jan11

Steve Field

Minuto Zero
Prémios FIFA e Taça da Liga

1 – Foi com enorme ansiedade que acompanhei a gala de atribuição dos prémios FIFA, já que José Mourinho era um dos candidatos. Felizmente, contra a maioria das previsões, inclusive da minha numa crónica de há umas semanas, José Mourinho, com toda a justiça, foi congratulado (oficialmente) como melhor treinador do mundo. É o melhor, sem dúvida, e não só por tudo o que já referi na crónica passada. Viram o discurso de Sneijder aquando da entrega do seu prémio por pertencer à equipa do ano? Viram a primeira reacção de Mourinho quando ouviu o seu nome como melhor do mundo? Viram o seu discurso que, apesar de curto, foi marcante? Bem se não viram vou dizer as respostas…Sneijder disse ‘Queria que Mourinho vencesse porque é o melhor treinador do mundo’. Quanto à primeira reacção de Mourinho foi abraçar o que ele julga ser a principal razão do seu sucesso, os seus jogadores. Foi magnífico! No entanto, mais bonito ainda foi o seu discurso: ‘Peço desculpa por falar em português mas sou um Portugal orgulhoso (…)’. É por tudo isto e muito mais que é o melhor. Sem margem para dúvida, Mourinho é o grande embaixador nacional no estrangeiro, é um fenómeno, um motivo de orgulho (ou se não é, devia) para todos os portugueses.
2 – Messi venceu o prémio de melhor jogador do mundo. Não se pode dizer que algum prémio que Messi vença seja injusto, porque é o melhor jogador de todos, mas se o prémio visa congratular o melhor de 2010 então esse, não estando Sneijder presente, deveria de ser entregue a Xavi. Vencedor da liga espanhola, campeão do mundo. Jogador essencial tanto no seu clube como na sua selecção, o verdadeiro cérebro. Sem ele, o jogo muda. Infelizmente, não se dá o devido valor a estes jogadores que raramente são protagonistas de um encontro mas que são peças fundamentais em qualquer êxito. Julgava que isso mudaria este ano, mas pelos visto apenas os que marcam golos são reconhecidos…quando Xavi não vence neste ano, dificilmente voltará a vencer. Porém, como já referi, Messi é um fenómeno e qualquer troféu lhe assenta que nem uma luva. Tem condições para ser o melhor de sempre. Mas toco num ponto essencial: O que seria de Messi sem jogadores como Xavi?
3 – Nota negativa para os organismos reguladores. Pelo primeiro ano, e penso que bem, atribui-se apenas um prémio, numa espécie de junção entre a bola de ouro e o prémio FIFA. No entanto, pelo que li, para o ano vai haver dois prémios, um para o melhor do mundo, outro para o melhor da Europa. Tanta indecisão que estes senhores têm. Todos sabemos que o melhor do mundo actua sempre na Europa, não faz sentido haver dois prémios que irá para o mesmo jogador.
4 – Nota negativa também para a taça da liga. O formato que esta apresenta é irrisório, que favorece os maiores clubes. Como diz Manuel Machado, ‘mais vale colocarem logo os quatro maiores nas meias-finais e discutir-se o troféu entre eles’. Ora nem mais, faço das palavras dele as minhas. O formato actual tem várias contrariedades: os oito primeiros classificados da época anterior (onde estão, obviamente, os grandes) apenas entram numa última fase com o sorteio a ser bastante favorável para que os quatro maiores se apurem para a meia-final, pois aliado ao seu maior potencial ainda jogam a maioria dos jogos em casa (é certo que foi sorteado, mas não tem nada de ser sorteado. Têm de ser favorecer os que mais necessitam!). Este facto ainda provoca outro pior, que se prende com a falta de receitas que os clubes de menos dimensão têm pois jogam a maioria dos jogos fora de portas, além que ainda têm despesas por se terem de deslocar. Quando não havia esta competição, dizia-se que deveria de ser criada para não sermos diferentes dos restantes. Agora que há, ninguém lhe dá credibilidade pela má gestão da mesma. Se é para isto, mais vale acabarem com ela. Ninguém gosta de ver jogos ‘a feijões’. Sugeria um formato idêntico à taça nacional (como se faz nos outros países) para poder haver a festa da taça. Robin dos Bosques roubava aos ricos para dar aos pobres, os organizadores desta competição preferem alargar o fosso entre os que mais necessitam e os que mais têm. Assim vai o nosso futebol.

by Steve Grácio