1 a zero:
De Pedro Santos a 14 de Março de 2012 às 20:07
Caro João,

Num momento em que a selecção nacional parece "sofrer" de falta de centrais de qualidade em número suficiente, não te parece que Paulo Jorge mereceria um lugar nos 23 de Paulo Bento?

Se Pepe e Bruno Alves estão com pé e meio na lista, e Rolando parece ser a 3ª opção, o 4º central parece ainda um lugar em aberto. Paulo Jorge parece poder competir com Ricardo Costa ou Zé Castro. E esta edição da LC está a ser uma excelente montra para um central que já em Braga mostrava bons atributos


De João Perfeito a 14 de Março de 2012 às 22:38
Na minha opinião se fosse agora seria claramente o 3º central. Rolando está bastante abaixo do ano passado e Paulo Jorge já foi nomeado 4 vezes para equipa da semana. Rolando contudo merece ficar como 4º central e ir ao Europeu.
Quanto ao meio-campo Nuno Morais se houvesse justiça poderia ter uma palavra a dizer.
Moutinho, Meireles são indiscutíveis.
Hugo Viana devia ser e não é.
Mas entre Hugo Viana, Carlos Martins, Rubén Micael, Rubén Amorim, Paulo Machado, Manuel Fernandes, Miguel Veloso e Nuno Morais não há muitas diferenças e são 8 candidatos para 2 lugares.


De Tiago Santos a 14 de Março de 2012 às 23:33
Não acredito nem na convocatória de um nem de outro. Penso que o Paulo Jorge é um jogador com qualidade para discutir o 4 posto da selecção, precisava de uma oportunidade para brilhar e está a ter.

Quanto ao Morais tenho mais reticencias... Veloso está a marcar posição (finalmente) na posição 6, mostrando finalmente que é um jogador que pode dar muito a uma equipa com futebol de toque curto.
Carlos Martins e Micael têm a convocatória dependente da sua condição por altura do Euro.
Meireles e Moutinho são inquestionáveis, Manuel Fernandes está em grande momento de forma, esperemos que seja desta que mostra o enorme jogador que é. Não vejo onde possa caber um jogador como Nuno Morais.

Quanto ao Hugo Viana penso que é uma questão de opção técnica. Na lógica de meio-campo da selecção seria um jogador que foge um pouco ao estilo, obrigando a compor um duplo-pivôt. Mas não digo que não à sua utilidade no lote dos 23.


De Tiago Santos a 14 de Março de 2012 às 23:48
João, há uma coisa que me escapa e que gostava que me esclarecesses: já percebi que não és grande fã do Barcelona de Guardiola, mas quando falas de equipas com "A criatividade, liberdade e fluência de jogo intersectam-se com o calculismo, penetração vertical no espaço vazio e multiplicidade de espaços." tenho curiosidade em saber se achas que o Barcelona não é, sem sombra de dúvida, a equipa que nos últimos tempos melhor se enquadra nestes adjectivos...

Aquilo que acho, é que o Apoel é uma equipa organizada, batalhadora, mas tenho uma certa dificuldade em achar que é uma das melhores do mundo como dizes... está nos melhores 8 pois está.. mas a verdade é que, e sejamos realistas, esta não é uma equipa de top.
É a minha opinião.

Quanto ao Leverkusen e aquilo que Messi fez... pareceu me claro que o Bayer tentou em Camp Nou fazer algo, mas a verdade é que o Barcelona com o rolo compressor activo é dificílimo de bater.
O Leverkusen é uma boa equipa claramente.

Outra coisa: já deves ter reparado que o Lyon está muitos furos abaixo do demonstrado nas ultimas temporada. Internacionais não ganham jogos, mas parece que elevaste feito do Apoel a um nível exagerado. Num comparativo simples, parece me que Lyon e Leverkusen estão em níveis próximos.
Discorda se quiseres.


De João Perfeito a 15 de Março de 2012 às 00:22
Eu também acho que não vão ser convocados. Paulo Jorge injustamente e Nuno Morais enquadrava no lote de possibilidades, pelo menos pré-convocado.

Claro que acho que o Barcelona se enquadra nesses adjectivos, aquilo que defendo é não valorizar esta equipa a melhor de sempre, porque todos os seus rivais (de todos os tempos) tem registos melhores e não definir claramente que é a melhor da actualidade. Está ao mesmo nível do Real e não claramente à frente como a cs pretende transmitir.
Os 5 golos de Messi para mim não tem muita importância porque foram num índice competitivo a roçar o amigável, numa eliminatória com tudo decidido.
Tal como hoje se Ronaldo marca-se 5 diria o mesmo. Aliás os pokers e hat-tricks de Ronaldo na Liga não o endeusam.

Quanto ao Apoel antes de definir se é de top ou não para responder melhor queria saber o que consideras ser de top?
Real, Barça, Manchester United, Bayer Munique, Milan
Ou consideras de top todas as equipas que estão numa segunda linha do futebol europeu.
Eliminando FC Porto e Schaktar, superando o Zenit e eliminando o Lyon parece-me claramente uma equipa de top da segunda linha este ano.
Estou a falar da actualidade. E por muito que queiramos fugir este Apoel foi melhor que por exemplo o Manchester City.
Até porque ganhou ao Zenit como o Benfica. O Benfica venceu o Basileia que venceu o Bayer que venceu o City.
Depois para mim uma equipa ser de top não precisa de demosntrar uma superioridade colossal e veemente. Gosto mais duma equipa que ganha 10 jogos por 1-0 do que uma que ganha 9 por 4-0 e perde o 10º por 1-0.
O Lyon está mais fraco, mas a nível de jogadores é muito superior.
Depois, se olharmos para o plantel do Apoel temos jogadores que foram desaproveitados pelo futebol português. Que se calhar em Portugal lutavam (na teoria) pelo 6º ou 7º lugar.
Depois estamos a falar dum país pequeníssimo, à bem pouco tempo comparado com o Luxemburgo e o Liechenstein.
Não estou a falar duma Áustria, Hungria, Polónia, Suécia ou Noruega, estou a falar dum dos países mais atrasados do futebol europeu.
Depois o feito é feito na actualidade e não à 50 anos. No início da Champions só jogavam os campeões nacionais ( o que limitava o lote de equipas fortíssimas), o sistema era por eliminatórias e a internacionalização das equipas era escassa o que possibilitava que as surpresas pudessem acontecer.
Agora, na actualidade, com a globalização do futebol, o dinheiro envolvidos a internacionalização das equipas é uma realidade que as vem engradecer e aumentar as assimetrias entre os melhores e piores. Porque as potências podem corrigir as suas lacunas com jogadores estrangeiros. Melhor exemplo Real e Barça na lateral esquerda.
E com tudo isto uma equipa cipriota chega aos quartos-de-final, igualando por exemplo o melhor registo do Sporting de sempre é uma coisa absolutamente extraordinária, fora de qualquer perspectiva.


Comentar post