Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Minuto Zero

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

A Semana Desportiva, minuto a minuto!

Minuto Zero

01
Fev12

Lado B

Bruno Carvalho

“Hulkodependência”

 

 

Incompreensivelmente, o FC Porto foi derrotado pelo Gil Vicente por 3-1 no passado domingo, no Estádio Cidade de Barcelos, em jogo a contar para a jornada 17 da Liga Zon Sagres. A meu ver, esta derrota tem uma explicação possível: “Hulkodependência”.

No jogo contra o Gil Vicente ficou bem patente que o FC Porto está muito dependente da presença de Hulk na equipa, na medida em que Hulk é, de longe, o melhor jogador do FC Porto e da Liga Portuguesa. Os números falam por si: na época passada, Hulk foi o melhor goleador do campeonato português com 23 golos marcados, e, nesta época Hulk tem 7 golos marcados jogando fora da sua posição natural (extremo direito), actuando na maioria dos jogos como ponta-de-lança.

Mas não foi só a ausência de Hulk que justificou esta incompreensível exibição do FC Porto, já que Vítor Pereira cometeu imensos erros na escolha do onze inicial, durante e após o encontro.

Quanto ao onze inicial, continuo sem perceber como é que Vítor Pereira mantém a aposta em Maicon para defesa direito, tendo Danilo disponível. Maicon é um bom defesa central, mas já mostrou que não é um bom defesa lateral, no sentido em que não tem rotinas nesta posição. Já Danilo é um lateral direito por excelência, tendo sido eleito o melhor lateral direito do Campeonato do Mundo de Sub-20, que se disputou no ano passado na Colômbia.

Durante o encontro, Vítor Pereira cometeu um enorme erro ao apostar numa defesa constituída por apenas 3 jogadores (Maicon, Rolando e Álvaro Pereira), amarrando Álvaro Pereira à defesa, não o deixando subir tanto no terreno, e deixando o espaço central apenas com Rolando. Esta opção revelou-se fatal pois permitiu ao Gil Vicente chegar ao 3-0 e acabar com o jogo.

James Rodríguez foi outro dos jogadores prejudicados, no desafio frente ao Gil Vicente, com as opções de Vítor Pereira. James Rodríguez passou os 90 minutos encostado à linha, quando todos nós sabemos que James rende muito mais quando lhe é dada mais mobilidade, deixando-o flectir para o meio.

A ausência de um ponta-de-lança de créditos firmados também foi um dos problemas do FC Porto neste desafio. Kléber é um bom ponta-de-lança, mas está ainda em fase de crescimento e de evolução não tendo ainda firmado todos os seus créditos. A ver vamos se Marc Janko (ex-Twente) é esse ponta-de-lança que o FC Porto precisa.

Já após o encontro, Vítor Pereira cometeu outro grande erro ao achincalhar a arbitragem. Penso que Vítor Pereira teria feito melhor se assumisse apenas as suas próprias responsabilidades, em vez de atirar as culpas para cima da arbitragem. Todos nós sabemos que Bruno Paixão é um péssimo árbitro, mas isso não chega para explicar a fraca exibição do FC Porto. Com isto quero dizer que mesmo que o árbitro não tivesse cometido nenhum erro, talvez o FC Porto também acabasse por perder este jogo, porque a sua exibição foi muito má.

Para além de que quando o FC Porto é beneficiado pelas arbitragens, Vítor Pereira não vem dizer que foi beneficiado. Mas isto acontece com todos os treinadores. Todos se queixam quando são prejudicados, e, assobiam para o lado quando são beneficiados.

E se formos a ver bem as coisas, todos os clubes são beneficiados e prejudicados durante toda a época.

Concluindo, esta derrota do FC Porto permitiu ao Benfica ampliar a vantagem na liderança do campeonato para 5 pontos, mas penso que ainda é cedo para dizer que o Benfica vai ser campeão, na medida em que ainda faltam 13 jornadas para o fim do campeonato.