Terça-feira, 3 de Julho de 2012
Steve Field

Espanha volta a (con) vencer

 

Com vem sendo habitual, a Espanha voltou a vencer o Europeu de futebol. Entrou na história ao ser a primeira selecção a vencer três competições sem interrupção. Apesar de quem diz o contrário (vá-se lá saber porquê…) a Espanha é uma justa vencedora (como todos os que ganham). Para mim são a melhor selecção de sempre, pelo menos são a melhor equipa que vi jogar.
A Espanha (tal como o Barcelona, a base da selecção) tem características invulgares no futebol e de fazer inveja a qualquer um. Têm uma identidade muito bem definida, que é o essencial numa equipa. Jogam com um falso 9 que permite constante movimentação dos atletas (e mesmo sem avançado fixo aparecem sempre vários jogadores em zona de finalização), dão primazia à técnica que lhes permite manter a bola quase todo o encontro e, sobretudo, fazem um pressing asfixiante, recuperando a bola o mais rapidamente possível para voltar a iniciar o carrossel.
Todos estes factores levam ao inevitável para os adversários: um tremendo desgaste físico. Tanto Portugal no prolongamento e a Itália em todo o encontro estavam muito desgastados. A maioria relaciona isso com questões meramente físicas. Puro engano! Por melhores fisicamente que qualquer selecção se encontre, quando jogam com a Espanha têm de correr um jogo inteiro atrás da bola, que desgasta física e psicologicamente. Na equipa Espanha os jogadores têm pouco desgaste porque a bola é que corre, não são os atletas, ao contrário dos seus oponentes. Muitos consideram o futebol espanhol aborrecido. Será inveja? A mim, pelo menos, delicia-me ver a bola ser tão bem tratada, ver movimentações que são um hino ao futebol, ver um pressing tacticamente impecável.
Além disso, têm um conjunto invejável. Não são só 11 jogadores bons, são 23 e até muitos que não foram convocados têm imensa qualidade. Este é o azar de Portugal (fruto do mau planeamento dos clubes, que irá ter consequências negativas a curto prazo). Em Espanha trabalha-se bem, e a selecção ganha com isso.
Destaque ainda para Portugal que foi a única selecção que fez frente a esta equipa de outro mundo, apenas claudicando nos penaltis, onde o vencedor é sempre incerto. Portugal fez o que qualquer equipa tem de fazer contra a Espanha (mas é difícil, a Itália tentou e foi goleada): pressionar o portador da bola a partir do meio campo, fechando as linhas e partindo rápido em transições. Que grande estratégia de Paulo Bento, que por pouco não deu uma passagem à final, totalmente inesperada.
Pedro Proença apitou a final do euro, depois de ter apitado a final da Liga dos Campeões, um feito de louvar. Quer queiram quer não, também na arbitragem somos dos melhores do mundo. Pedro Proença apita melhor fora do que em Portugal? Em parte sim, mas porque em Portugal há muita pressão sobre os árbitros. Em Portugal qualquer derrota é culpa do árbitro, ninguém sabe ver a realidade nem assumir as culpas. é muito mais difícl apitar em Benfica-Porto do que uma final do euro. A arbitragem raramente influencia um resultado, só o futebol jogado dentro das quatro linhas influencia um resultado. Durante o euro, várias foram as teorias da conspiração contra esta selecção espanhola. A principal era que Platini queria ver a Espanha e a Alemanha na final. Foi uma declaração muito infeliz, é certo, mas teve repercussões exageradas. Platini apenas fez um palpite, um palpite que eu também tinha. A prova que estes palpites não têm peso e os que são melhores no campo é que ganham foi a eliminação na Alemanha, ou a ausência de Barcelona e Real Madrid na final da Liga dos Campeões. Quem está constantemente contra os árbitros e com estas teorias não consegue viver verdadeiramente o futebol. Quem vir o futebol como amante da modalidade e não como adepto passa a gostar mais de futebol, isso é certo. Temos de analisar o futebol, não analisar o extra futebol. Quando isto acontecer, tudo será melhor. Viva ao desporto rei!





publicado por Steve Grácio às 12:35
link do post | comentar

1 a zero:
De João Perfeito a 3 de Julho de 2012 às 15:00
Excelente crónica...

Para mim o futebol da Espanha foi só o melhor futebol que já vi em toda a minha vida... Podia esperar que esta selecção vencesse o europeu, mas nunca esperava que continuasse a evoluir tanto...

Para mim esta Espanha é o upgrade que o Barça devia ter, é éste tipo de futebol que tenho dito ao longo dos últimos dois anos...

A grande diferença entre o Barça e a Espanha é que a Espanha não é só tiki-taka.

A Espanha mantém a qualidade técnica do Barça, o passe geométrico, o cuidadado por fazer as coisas bem mas tacticamente é mais evolída.

Quer no tipo de pressão que faz, quer na transicção defensiva, quer na forma como lê o jogo do adversário e anula os seus pontos fortes.

Ofensivamente não consigo caracterizar esta fantástica equipa.

Ora joga no tiki-taka ora explode pelas alas, com um grande Jordi Alba ora um passe diagonal aéreo de Xabi Alonso a romper completamente o jogo.

Fundamentalmente é uma equipa que defende bem e que não está enraizada numa cultura do jogo. Adapta-se ao jogo e responde aquilo que ele exige...

Dai que tanto seja capaz de fazer 20/25 passes para rematar como em dois ou três desequilibrar o adversário.

Portugal fruto de ter dois dos melhores médios do Mundo, Moutinho e Meireles e um surpreendente Miguel Veloso conseguiu anular muito do jogo espanhol e ao longo dos 90 minutos foi superior.

A nossa selecção fora o prolongamento, embora o empate fosse justo, a haver um vencedor seria Portugal...

E é isso que temos de nos orgulhar...

Eu acho que não temos banco porque a qualidade do onze é estratosférica. Coentrão, Pepe, até Bruno Alves neste momento, Raúl Meireles, João Moutinho, Nani e Ronaldo estão no lote de top das suas posições... É muito difícil um país tão pequeno conseguir substituir todas esta pérolas...

Mas Varela, Custódio, Hugo Viana e Miguel Lopes podem crescer no contexto da selecção e dar mais soluções.

A formação não está tão bem desenvolvida é certo, mas em 2014 Portugal chegará com estes jogadores no auge das suas carreiras.

E somos a equipa no mundo mais preparada para bater os espanhóis...

Do lado da América por clara insuficiência táctica Brasil e Argentina são inferiores.

Portugal se quer ganhar, tem de ter mentalidade vencedora e assumir desde já a candidatura ao título mundial de 2014.

Se pensarmos sempre que logo se vê acabaremos sempre eliminados nas meias e nunca ganharemos nada.

Depois de ter feito o que fez, contra a Espanha penso que não deverá haver outra maneira de pensar...


Comentar post

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010