Domingo, 22 de Abril de 2012
Área de Ensaio

CDUL cada vez mais perto

 

 

    O Estádio Universitário de Lisboa assistiu este sábado ao "passo de gigante" que o CDUL deu em direcção à finalíssima que vai decidir o novo campeão nacional de rugby.

    A equipa azul, recebeu e venceu o GD Direito por 13-12, num jogo que apesar de equilibrado nunca foi verdadeiramente bem jogado. O CDUL entrou no jogo a vencer, logo no primeiro minuto Carl Murray respondeu à solicitação de Pedro Cabral e inaugurou o marcador, quando as duas equipas ainda estavam a "aquecer os motores". A partir daí o jogo centrou-se nos avançados, com o GD Direito a ganhar ligeira vantagem, mas sem conseguir traduzir isso em situações de perigo, muito por culpa de (mais uma vez) não conseguir interligar o jogo com os seus defesas. Já a equipa azul tentou utilizar a mesma receita que lhe valeu a vitória sobre a Agronomia, mas nem Pinto Magalhães nem Pedro Cabral conseguiam colocar a bola rápida e em condições em Frederico Oliveira, Gonçalo Foro ou Carl Murray, limitando-se a transmitir a bola lateralmente e de forma previsível. Apesar das dificuldades o GD Direito conseguiu reduzir no 1º tempo, fruto de duas penalidades de Gonçalo Malheiro (será que já não tem qualidade para a selecção?) fixando o resultado a meio da primeiro tempo em 7-6.

    As duas equipas limitavam-se a defender o jogo previsível do lado contrário, com defesas bem organizadas, mas ataques lentos e demasiado centrados nos avançados. A acabar a 1ª parte, Malheiro virou o resultado com um bom drop (9-7), mas na bola de saída uma penalidade permitiu a Pedro Cabral levar o CDUL em vantagem para o intervalo.

O GD Direito ainda conseguiu voltar à vantagem por 12-10 (mais uma vez Malheiro), mas com o avançar da 2ª parte os homens de Monsanto começaram a mostrar dificuldades físicas evidentes, o que condicionou o seu jogo. O CDUL passou a controlar a iniciativa de ataque e com maior capacidade física, foi montando sucessivas fases de ataque, esperando que uma desconcentração adversária. Desconcentração essa que surgiu já mesmo no final, uma penalidade que permitiu a Pedro Cabral (falhou 4 pontapés durante a partida) fazer o 13-12 e dar os 4 pontos ao CDUL.

    O GD Direito, voltou a mostrar uma excessiva dependencia dos avançados, um Gonçalo Malheiro excelente no jogo ao pé, mas com dificuldades em abrir jogo nos seus defesas e sobretudo uma quebra fisica na segunda parte, de qualquer forma podiam ter ganho o jogo. O CDUL teve maior capacidade fisica, inteligência e também aquela estrelinha que faz os campeões, e é neste momento a melhor equipa do campeonato e aquela que melhor alia defesas e avançados, tendo jogadores de grande nível em todas as posições.

    A Agronomia foi até Coimbra vencer por 20-0, colocando novamente à vista as dificuldades de uma equipa que chegou a ser a "sensação" do campeonato. A partida foi totalmente dominada pela equipa lisboeta, que poderia ter ganho por uma margem mais dilatada, contudo este jogo serviu sobretudo para rodar jogadores e fazer regressar alguns lesionados. A equipa da Agronomia decerto que vai crescer a partir de agora, com o regresso de Jacques Le Roux e Cardoso Pinto, a equipa irá melhorar e dar luta no acesso à finalíssima. Já a equipa de Coimbra, é a desilusão desta fase, ninguém lhes exigia o título, eram (e são) uns outsiders, mas no mínimo deveriam dar maior luta, pois já provaram que são capazes de fazer melhor. A presença nesta fase nunca pode ser encarada como um prémio, mas sim como uma motivação para fazer mais e melhor.

    Neste momento, o CDUL lidera com 16 pontos, a Agronomia está em 2º com 12 pontos, o GD Direito é 3º com 10 pontos e a Académica está na ultima posição com 1 ponto.

 

    Na fase de descida, o Belenenses voltou a provar que não merece estar aqui e que na luta pelo título poderiam fazer boa figura, contudo não conseguiram esse acesso apenas por culpa própria, situação que deverá ser reposta na próxima época. A equipa deslocou-se ao Estádio Nacional para "cilindrar" o Técnico por 98-17, e não há muito a dizer sobre este jogo. Superioridade total, 16 ensaios marcados e uma equipa do Técnico que parece não pertencer a este lote. Uma equipa com a história e o palmarés do Técnico merece mais que uma serie de exibições e resultados que em nada dignificam o clube, e a descida à 1ª Divisão parece evidente.

    Já o CDUP recebeu e venceu o Benfica em Leça da Palmeira, por 27-17. Os portuenses marcaram cedo e aos 5 minutos já venciam por 10-0, e com essa vantagem limitaram-se a gerir o resultado, perante uma trabalhadora mas pouco eficaz equipa encarnada. Tal como o Técnico, uma equipa como o Benfica, um dos fundadores do rugby nacional, com uma palmarés vastíssimo, onde pontificam por exemplo algumas Taças Ibéricas, merecia mais do que lutar pela manutenção e arrastar-se nos últimos lugares da classificação. Mas o que é que se pode pedir quando a direcção do clube esqueceu por completo a modalidade, que vive "desterrada" em Almada e que apenas sobrevive graças ao trabalho de alguns ex-jogadores e apreciadores da história do rugby do Benfica? Nada de bom se prevê para o futuro do rugby encarnado.

    A classificação segue com o Belenenses em 1º com 19 pontos, o CDUP é 2º com 11 pontos, o Benfica está em 3º lugar com 7 pontos e o Técnico é último com 2 pontos.

 

By Pedro Santos



publicado por Pedro Santos às 18:48
link do post | comentar

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010