Sexta-feira, 6 de Abril de 2012
Buzzer Beater

Kentucky Wildcats - mais do mesmo

 

Na passada segunda-feira os Wildcats, equipa que antes do torneio final deste ano da 1ª divisão da NCAA estavam em 1º no ranking, ganharam a edição 2012 do torneio, batendo a Universidade de Kansas, na final. E porquê mais do mesmo? Não sendo a equipa com mais títulos universitários (com este último somam 8, UCLA é a grande totalista com 11, salvo erro), são os que nos últimos anos têm formado a maior quantidade de jogadores de qualidade para os profissionais, especialmente na NBA. Isto vem com alguma tradição na credibilidade que o programa de basquetebol daquela universidade tem em formar jogadores.

São facilmente reconhecíveis: Pat Riley, estrela dos anos 60, actual presidente dos Miami Heat, Jamal Mashburn, Tayshaun Prince, Keith Bogans, DeMarcus Cousins, John Wall, Rajon Rondo, Antoine Walker, Patrick Patterson, Brandon Knight, e, duas estrelas deste ano que seguramente irão entrar na NBA nas próximas temporadas (dependendo se decidem declarar-se para o draft ou não), Michael Kidd-Gilchrist e Anthony Davis.

E estes são só os mais reconhecíveis, muitos mais há em número que acabam por entrar na NBA. A equipa deste ano teve uma particularidade interessante: Davis e Kidd-Gilchrist, os melhores jogadores, estão no seu primeiro ano de universidade. Isto vem das bases sólidas de recrutamento que esta escola tem. Uma das grandes dificuldades, na minha opinião, da NCAA, é o refazer constante das equipas, pelo que os jogadores não jogam mais do que 3 ou 4 anos, e aqueles que se destacam cedo pela sua qualidade, saem para a NBA 1 ou 2 anos depois da sua experiência universitária. Portanto a base de continuidade tem que ser em dois aspectos: no recrutamento e na equipa técnica, pois dificilmente se constroem estas equipas à volta de alguns jogadores, pelo menos a longo prazo.

Com este plano de recrutamento a resultar bem nos últimos anos, espera-se que a Universidade de Kentucky continue a formar jogadores de grande qualidade, sendo que este ano não será excepção. Num draft que se advém prolífero em jogadores de grande estatura (uma deficiência gritante da NBA neste momento é a quantidade de postes de qualidade, ao passo que em extremos-poste já se afirmam muitos jogadores de renome), muitas equipas com menos sucesso este ano irão abastecer-se de juventude e capacidade física, mas também técnica, para voltar à relevância, ou chegar lá pela primeira vez. Anthony Davis parece ser a escolha consensual para nº1 (embora ainda não se tenha declarado elegível para o draft), mas daí até aos 9 seguintes, a corrida parece estar muito dividida, e ninguém sabe exactamente quem é melhor, logo a seguir. Com a chegada dos playoffs da NBA, nas próximas semanas, as equipas que lá não estiverem vão começar a virar-se para esta via. Uma das maiores silly seasons da temporada, em que toda a gente se arma em adivinho para ver quem acaba por ser escolhido e em que lugar, onde agentes batalham pelo 'stock' dos seus clientes, e, dependendo do número onde são escolhidos, da dimensão dos seus contratos, e ainda, comissões.



publicado por Óscar Morgado às 12:07
link do post | comentar

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010