Sexta-feira, 2 de Março de 2012
3x4x3: "Sextas sob pressão"

1. A passagem de testemunho na liderança da Liga portuguesa significa, mais do que uma diferença de 3 pontos (e vantagem no confronto direto), uma nova fase psicológica para Benfica e F.C.Porto.

Na luz, sobretudo aquando da entrada de James e expulsão de Emerson, o Benfica foi incapaz de segurar a magra vantagem, num jogo frenético, onde se notou alguns erros defensivos de parte a parte. No Benfica, a fraca entrada no jogo e a pouca capacidade para "controlar" o miolo com Javi, Aimar e Witsel desinspirados, fez a equipa de Jorge Jesus perder aquilo que de melhor conseguiu em relação à temporada passada: a capacidade de domínio e pressão na zona central do meio campo, permitindo que a equipa não se desequilibre aquando dos movimentos frontais dos seus médios ofensivos.

 

No Porto, Rolando e Otamendi tremem demasiado, sobretudo nas bolas paradas. Na segunda parte, a troca de Djalma para lateral e confiança em Maicon como central, acabaria por trazer uma nova consistência ao eixo defensivo. Com James em campo cresce a capacidade da equipa para ter bola, sobretudo nas zonas centrais. Lucho esteve pouco em jogo, e por isso se compreende alguma dificuldade dos dragões em ter um pouco mais de bola.

 

Para o restante da temporada fica a certeza que nada está, de fato, decidido. Com Braga de Jardim a crescer exponencialmente, Benfica à procura da confiança e vantagem perdidas nesta sexta e Porto tentando uma serie de vitórias e exibições convincentes que deixem os rivais de Lisboa ( e do Minho) a uma distancia segura.

 

2. Dos jogos internacionais poucas conclusões ficam de fato na retina. A seleção nacional deixou uma pálida e apática imagem contra a anfitriã do Europeu Polónia. Com um sorteio complicado, a equipa de todos nós terá certamente de mostrar outro nível de futebol, mas que até já provou conseguir em jogos anteriores.

O segredo poderá estar na capacidade de Moutinho, Meireles, Veloso e M.Fernandes na zona de meio campo. Sem um médio ofensivo de referência internacional como Deco ou Rui Costa, este novo "3" deverá ser sobretudo capaz de pressionar alto, em rotação constante e com futebol apoiado com boa ligação entre sectores. Os desequilíbrios deverão partir sobretudo do talento individual de Ronaldo e Nani, com o apoio ofensivo de Coentrão e entradas desde trás dos médios interiores.

 

Dos adversários, destaque para a apática Alemanha. Joaquin Low tem ao seu dispor uma equipa cheia de revelações e jogadores consagrados, que prometem dar à Mannschaft várias soluções de qualidade. Sobretudo do meio campo para a frente, nomes como Muller, Podolski ou Ozil, têm agora a concorrência de Reus (revelação do B' Monchenglabach), Shurrule (Leverkusen), Gotze (Dortmund) ou Kroos (Bayern). Resta perceber se para o Euro 2012 a disposição competitiva fará jus à reputação teutónica neste tipo de provas.


By Tiago Luís Santos



publicado por Minuto Zero às 22:50
link do post | comentar

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010