Domingo, 19 de Fevereiro de 2012
Área de Ensaio

Taça(s) de Portugal

 

 

    Este fim-de-semana foi dedicado à disputa da Taça de Portugal. Não deixa de ser uma data estranha à realização da final da prova, que normalmente marca o final da época desportiva. Este ano, com alguma estupefacção a Federação Portuguesa de Rugby marcou a final (e as restantes eliminatórias) durante a realização de diversas provas internacionais, entre elas o Campeonato Europeu das Nações. Obviamente que algumas equipas saíram prejudicadas por este facto, especialmente as que mais jogadores cedem à selecção nacional, o que impossibilitou a presença de certos jogadores nas eliminatórias que conduziram a esta final. De entre as equipas prejudicadas, destaca-se o Grupo Desportivo de Direito, clube onde militam a maioria dos jogadores nacionais.

    Outro facto que causa algum espanto é os moldes em que se disputou a Taça de Portugal, na verdade não houve uma final, mas sim quatro. Muito sucintamente a prova realizou-se da seguinte forma, um pouco à imagem dos torneios de sevens, as equipas foram numa primeira fase divididas em grupos, consoante a classificação dos grupos, as equipas jogaram para decidir quem jogaria “para que final”. Desta forma houve uma final principal, uma Bowl, Plate, e Shield.

    Se desta forma é possível uma equipa disputar mais jogos, parece não fazer sentido existirem quatro finais. Para além da final principal, qual é o interesse das outras finais? Interessa realmente uma equipa vencer uma taça secundária? Qual é o propósito de uma equipa perder todos os jogos, mas mesmo assim atingir uma final? São algumas questões que a FPR deve analisar e perceber se não é mais vantajoso voltar aos moldes clássicos da Taça de Portugal.

 

    A final principal disputou-se entre Académica e Agronomia, duas equipas que garantiram um lugar na final-four na disputa do título. A Académica está a fazer uma época de grande nível, conseguindo resultados que conduziram a equipa a um lugar nos 4 primeiros.  Já Agronomia, crónica candidata a vencer tudo na última década, fez até aqui os mínimos para garantir um lugar na disputa do título, mas para ultrapassar o GDD e ser campeão nacional terá obrigatoriamente de subir de nível.

    A Académica queria aproveitar a final para conquistar a sétima Taça da sua história, e igualar o GDD no número de vitórias. Já a Agronomia pretendia vencer a sua nona prova e igualar o Benfica como equipa mais bem sucedida nesta competição. Mais, a Agronomia poderia vencer a sua quarta taça consecutiva, um feito nunca antes realizado em Portugal.

    O jogo disputou-se no campo de Honra do Estádio Nacional, e desde cedo se percebeu a tendência do jogo. Agronomia entrou a toda a velocidade e logo no inicio do jogo marcou três ensaios perante a passividade da Académica. Quando a “Briosa” acordou já o marcador ia em 22-0. A partir daí o jogo a Académica correu sempre atrás do marcador, com a equipa da Agronomia a limitar-se a controlar o jogo, perante uma trabalhadora equipa de Coimbra. A má entrada no jogo ditou a derrota da Académica, que pela segunda parte que realizou, e pela entrega da equipa merecia um resultado mais equilibrado. De destacar a boa exibição (mais uma) de Sérgio Franco, o melhor marcador de ensaios da Divisão de Honra, que não chegou para a Académica somar mais um feito.

 

    Nas restantes finais, o CDUL venceu o Benfica por 52-12 e venceu a Taça Plate, a Taça Bowl viajou até Arcos de Valdevez, resultante da vitória por 48-5 frente ao CRE e a última das Taças (Shield) fica para Santarém que venceu o Montemor por 26-19.

Em termos de rugby feminino, realizou-se também a final da Taça, que opôs o Benfica à Escola Agrária de Coimbra, duas equipas que durante a fase regular do campeonato foram as mais fortes, e que prometiam um bom espectáculo. No final a vitória sorriu às “benfiquistas” por 27-0.

 

By Pedro Santos

 



publicado por Pedro Santos às 20:20
link do post | comentar

1 a zero:
De SSMaxent a 25 de Fevereiro de 2012 às 22:05
GALEES!


De Pedro Santos a 27 de Fevereiro de 2012 às 22:52
não sei se viste o jogo de sábado...houve incerteza no marcador até ao fim (literalmente até ao último segundo), enfim um verdadeiro hino a este desporto.
Agora decide-se tudo com a frança, que está a desiludir, não pelos resultados, mas sobretudo pela fraca qualidade de jogo, parece nunca jogam o que sabem.

Há falta de crónica esta semana aproveito para gabar Gales aqui, são de facto a melhor equipa europeia neste momento


De Sarah Saint-Maxent a 29 de Fevereiro de 2012 às 17:16
vi sim senhor, vi os 3 jogos do fim-de-semana, e já me estava a passar com aqueles últimos minutos da inglaterra (ainda p cima com a inglaterra!).
fiquei com a impressão que não tinha mesmo sido ensaio, tal como o árbitro decidiu, o que achaste?

sim, a frança não impressiona. não está a jogar o rugby que pode, e que prima sobretudo pela beleza.
o jogo com a escócia, que deviam ter dominado por completo, acho que mostrou bem isso... sobretudo por permitirem aqueles momentos completamente mortos e apáticos, o que não é nada habitual - ou melhor, tem vindo a ser, mas não devia para o seu nível.


De Pedro Santos a 1 de Março de 2012 às 16:57
a decisão foi correcta, é impossível verificar se ele toca mesmo com a bola, pelas imagens até dá ideia que ele nunca chega a fazer um toque completo?

agora a questão é: sarah que a França se está a guardar para o jogo com Gales, e ai fazer uma grande exibição? (peço desculpa pelo trocadilho, mas...não cnsegui resistir)


Comentar post

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010