Domingo, 29 de Janeiro de 2012
Porque a vida também é feita a correr...

 

A Morte do Tiki-Taka

 

 

O Futebol Clube Barcelona, após o empate a zero no campo do Villareal afundou-se no submarino amarelo e leva já 7 pontos de atraso sobre o seu eterno rival Real Madrid.

O domínio patenteado pela equipa de Guardiola nos últimos 3 anos é absolutamente assombroso. Com mais de 75% de vitórias no jogos do campeonato e somando goleadas atrás de goleadas efectivadas com jogadas de sincronização absolutamente fantásticas.

Ao longo dos últimos 3 anos, a célebre posse de bola Blaugrana foi-se aperfeiçoando, os espaços no meio-campo para organizar aumentando e as soluções de finalização em movimentos verticais sem bola exponencializaram-se à forma mais artística da história do futebol. Um futebol onde o rigor do passe e da segurança da bola se intersectava com a criatividade e habilidade individual dos seus jogadores.

Contudo, todas as equipas tem telhados de vidro, e todas as epopeias tem um fim… Se por um lado a segurança da posse de bola e a aceleração apenas em situação de finalização permitiram à equipa culé dominar o panorama futebolístico Mundial nos últimos anos, por outro lado, a falta de fluidez de jogo (1º toque), velocidade na construção não permitiu à equipa desenvolver outro tipo de mecanismos de jogo.

Hoje, o Barça tem no enraizamento da sua táctica a cultura do seu jogo e o seu modo de estar no futebol. Mais do que a importância das goleadas o Barca quer deixar-nos a sua filosofia, o seu pensar e agir diferente.

O Barça, equipa de futebol não é mais que o prolongamento da região que representa- a Catalunha. No tiki-taka, a capacidade económica da região, que produz 25% da riqueza espanhola. No extremismo e no ódio ao que é diferente da Catalunha enquanto povo, à falta de adaptabilidade do futebol catalão.

O Barça não sabe jogar doutra forma, porque fundamentalmente não quer perder a sua identidade, e ela é mais importante que qualquer resultado.

Com o advento tecnológico do futebol contemporâneo, a imprevisibilidade do Barcelona vai-se cada vez mais tornando numa previsibilidade, os movimentos são cada vez melhor conhecidos pelos adversários e até o trabalho especifico dos guarda-redes para tapar os remates isolados de Messi- está a dar resultado.

O astro argentino, não consegue mudar a sua forma até então exímia de finalizar, e a sua velocidade e génio escondia a previsibilidade do seu jogo, agora a antecipação do movimento camufla o jogador Argentino.

         Pep Guardiola sabe que não consegue fazer mais desta equipa, expremeu-a até onde pode e sabe que o sumo acabou. Consciente, racional e inteligente como enquanto jogador quer sair pela porta grande e deixar que o seu sucessor fique com a morte dum estilo de jogo.

         A rapidez e combatividade do futebol Moderno apanharam a beleza e a genuidade do futebol do Barcelona. Gostar ou não desta tónica é uma opção, aceitá-la é um destino.

Os grandes líderes e as grandes filosofias resistem a todos os choques vanguardistas, resistem a todos os novos pretendentes ao trono.

Os grandes líderes não apenas criam uma filosofia, deixam um legado para que o trabalho seja continuado.

Guardiola, ao abandonar Camp Nou deixará legado ou quererá deixar o barco antes que ele se afunde?

Todas as grandes equipas do futebol Mundial, tiveram um tempo e morreram, por isso nem a divindade deste Barça o vai fazer eterno.

Num contexto actual de capitalismo e progresso o futebol agradece ao Barcelona o capítulo que deixou nesta incessante história do maior fenómeno de massas dos últimos 100 anos. O caminho está aberto, quem será o próximo a chegar ao trono?



publicado por João Perfeito às 00:09
link do post | comentar

1 a zero:
De Tiago Santos a 29 de Janeiro de 2012 às 21:59
acho que estas a exagerar, penso que mais tarde ou mais cedo vais mudar de opinião, as coisas não mudam de um dia para outro.
A verdade é que o Barcelona tá em todas as frentes e mesmo a desvantagem na liga não é irrecuperável, apesar de sinceramente ter dúvidas que Mourinho deixe escapar a oportunidade.
Mas o grande duelo, e quer se queira quer não o lugar onde se tiram as dúvidas de quem é de facto melhor é na Champions. Digam o que disserem ai sim se faz história



(João configura o teu texto como os outros e mete imagem... assim os parágrafos tão desordenados)



Comentar post

pesquisar neste blog
 
Equipa Minuto Zero'
Links
Também Tu Podes Participar!

Participa na Equipa Minuto Zero'

subscrever feeds
Arquivo

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010